Cidades Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Idosa foi detida por poluição ambiental e por manter a casa em condições sanitárias que causam risco. Foram necessárias 120 pessoas na limpeza

Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Reprodução/Record TV

Uma americana de 67 anos foi presa por poluição ambiental e por manter a casa em condições sanitárias que causam risco à população. A senhora, que mora sozinha em Campo Grande (MS), vivia em meio a sujeira, restos de comida, insetos, ratos e muito mau cheiro. As informações são da Record TV Mato Grosso do Sul

Leia também: Corpo de brasileira é encontrado dentro de mala em Portugal

Com uma ordem judicial para entrar na casa, os agentes do DECAT (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e atendimento ao turista) realizaram a atuação. Foram necessárias 120 pessoas para realizar a limpeza do local. No final, um caminhão grande foi enchido com o lixo retirado.

A moradora acompanhou a limpeza realizada pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde. Durante a ação, agentes do Controle de Endemias Vetoriais também encontraram larvas do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. 

Mesmo depois da limpeza, no armário da cozinha ainda tinham baratas que andavam pelos alimentos. No entanto, como estavam dentro do prazo de validade não puderam ser jogados fora.

Leia também: Idoso surta, dá mais de 60 tiros dentro de casa e se joga da janela

Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Americana é presa vivendo em meio ao lixo, sujeira e insetos em MS

Reprodução/Record TV

Essa não foi a primeira vez que a estrangeira foi autuada. Em 2017 os agentes já haviam prendido a mulher por maus tratos de diversos animais encontrados na mesma casa.

A americana foi ouvida, pagou fiança e vai responder pelo crime em liberdade. Além disso, vai passar por uma avaliação pscicológica. A Embaixada Americana, em Brasília, solicitou uma cópia do processo, que será encaminhada pela polícia.