Cidades Ao menos 230 mil pessoas ficam sem energia elétrica no RS após passagem de ciclone Yakecan

Ao menos 230 mil pessoas ficam sem energia elétrica no RS após passagem de ciclone Yakecan

Pescador de 51 anos morreu. Em Porto Alegre, aulas foram suspensas. Imnet mantém alerta sobre fortes rajadas de vento

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV

Pescador de 51 anos morreu ao ser surpreendido pelo ciclone enquanto estava na embarcação

Pescador de 51 anos morreu ao ser surpreendido pelo ciclone enquanto estava na embarcação

Reprodução / Record TV

A passagem da tempestade subtropical Yakecan deixou pelo menos 230 mil pessoas sem energia elétrica no Rio Grande do Sul. Um pescador de 51 anos morreu ao ser surpreendido pelo ciclone enquanto estava na embarcação. O barco bateu em pedras no rio Guaíba, em Porto Alegre. As informações são da Record TV.

As rajadas de vento próximas a 100 Km/h provocaram o fechamento do comércio e suspensão de aulas em mais de 90 escolas. Durante a madrugada, as consequências do vendaval foram vistas pelas ruas de Porto Alegre, com placas e árvores caídas no chão e muita sujeira.

Os ventos, a chuva e o frio são consequências do ciclone que atingiu o sul do país. Os efeitos foram sentidos com mais intensidade dentro das águas. 

O alerta do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) sobre os impactos da tempestade Yakecan na costa do Rio Grande do Sul está mantido nesta quarta-feira (18). Ainda há possibilidade de rajadas de vento em torno de 100 km/h.

A expectativa é de que, a partir da tarde, a tempestade comece a se afastar e o tempo fique firme no restante da semana. Já as temperaturas vão permanecer baixas.

Ciclone

O ciclone recebeu o nome de Yakecan, que significa "o som do céu" em tupi-guarani. O fenômeno se formou em águas mais frias do oceano e acontece por causa de uma área de baixa pressão, ou seja, onde os ventos estão em direções e intensidades diferentes e se encontram com águas mais quentes, o que aumenta a velocidade dos ventos.

Para evitar que os estragos fossem ainda piores, as autoridades tomaram algumas medidas preventivas, como a suspensão de aulas, para que houvesse menos pessoas circulando em vias públicas.

Em Tramandaí, no litoral norte do estado, o telhado caiu com a força do vento e ninguém ficou ferido. A tempestade também atingiu praias de Florianópolis, em Santa Catarina. A maré alta avançou e atingiu ruas da praia de Morro das Pedras.

A Prefeitura de Porto Alegre abriu as portas de um ginásio para acolher a população de rua. 

No Paraná, quase 1.200 moradores em situação de rua foram encaminhados para abrigos em Curitiba. Em General Carneiro, a 300 quilômetros da capital, os moradores registraram chuva congelada.

Morte

O corpo do pescador, de 51 anos, foi encontrado no lago Guaíba, que fica na no sul de Porto Alegre. Ele e outras três pessoas saíram em duas embarcações para pescar quando foram surpreendidos pelo ciclone.

O barco não resistiu aos ventos de 90 km/h e naufragou. O colega da vítima conseguiu nadar até as margens e foi resgatado. A outra embarcação nada sofreu.

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) alertou os condutores de carros e motos para o risco de trafegar pelas rodovias. A ventania só deve começar a melhorar a partir de quinta-feira (19).

Neve

Em São José dos Ausentes, que fica a quase 300 quilômetros da capital gaúcha, nevou. A temperatura chegou a 2ºC, mas a sensação térmica era de -20ºC. Em Cambará do Sul também nevou e a temperatura não ultrapassou os 2ºC.

A massa de ar polar deve permanecer no estado ainda por alguns dias.

Últimas