Cannabis será utilizada em estudo com médicos durante pandemia

A Cannabis Medicinal será estudada como forma de aliviar sintomas de sobrecarga

A Cannabis Medicinal será estudada como forma de aliviar sintomas de sobrecarga psicológica em médicos e enfermeiros da linha de frente do combate a pandemia do novo coronavírus. O estudo foi aprovado esta semana pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos (CEPSH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O título da pesquisa é “Impacto do óleo integral de Cannabis na saúde mental de profissionais da linha de frente no combate a Covid-19”.

Leia também: Covid-19: Brasil atinge platô nas mortes, diz Ministério da Saúde

“A cannabis já tem efeito consagrado como ansiolítico. Neste momento de pandemia, estes profissionais estão expostos a uma alta carga de estresse que acaba refletindo fisicamente e mentalmente. No estudo, iremos avaliar como a cannabis atua no controle da ansiedade, depressão e estresse destes profissionais”, explicou o diretor da Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace Esperança), Cassiano Teixeira.

Voluntários

Irão participar 300 profissionais da saúde, entre médicos e enfermeiros. O óleo a ser utilizado no estudo é fabricado pela Abrace e será disponibilizado a todos de forma cega, ou seja, sem que eles saibam se estão utilizando cannabis ou não.

“Eles irão receber um medicamento feito com o extrato integral da planta com 100mg/mL de CBD ou placebo. Estes profissionais serão acompanhados durante seis meses de tratamento, e receberão um questionário para auto-avaliação e consultados por médicos da equipe por telemedicina”, detalhou o diretor da Abrace.

Inscrições

Os interessados em participar devem acessar o site da Abrace e preencher um questionário, já disponível. A previsão de resultados é para o mês de março de 2021. Este será o primeiro estudo da espécie no Brasil.