Cidades Cheias de rios no Acre e Rondônia expulsam 4.200 pessoas de casa

Cheias de rios no Acre e Rondônia expulsam 4.200 pessoas de casa

Capitais dos Estados cancelaram desfiles do Carnaval por conta da situação

  • Cidades | Do R7

Vista aérea do Acre; Estado está praticamente isolado

Vista aérea do Acre; Estado está praticamente isolado

Reprodução/Rede Record

As capitais do Acre e Rondônia, Rio Branco e Porto Velho, respectivamente, cancelaram os desfiles de Carnaval por conta da cheia história que atinge os Estados e deixa mais de 4.200 pessoas fora de casa.

O governador do Acre, Tião Viana, disse durante entrevista coletiva que não é prudente a realização do evento porque a situação deve piorar.

— De acordo com a previsão de chuvas, a situação vai ficar mais grave em Rio Branco. É prudente cancelar, como fez Porto Velho.

Segundo o tenente-coronel Denargli da Costa Farias, do Corpo de Bombeiros de Rondônia, a tendência é que chova na Bolívia nos próximos 15 a 20 dias, de acordo com informações do Sipam (Sistema de Monitoramento da Amazônia) e que as cheias atinjam os rios Madeira e Acre.

— Quando chove lá, a água leva cerca de quatro a cinco dias para chegar aqui, então a tendência é que aumente ainda mais o nível do rio.

Cheia do Rio Madeira deixa mais de 8.000 desabrigados em Rondônia

Cinco cidades do Amazonas decretam estado de emergência devido a enchentes; Acre continua isolado

Cerca de 30 bombeiros da Força Nacional atuam em ações de busca e salvamento nas áreas atingidas pela enchente. Eles devem permanecer por 30 dias na capital. Nesta segunda-feira, eles ajudaram no deslocamento de cerca de 60 pessoas que deixaram o distrito de São Carlos, em Porto Velho. Mas, segundo o Vice-prefeito, Dalton Di Franco, 510 famílias ainda resistem em deixar o local.

De acordo com a Sala de Gerenciamento de Crise do município, 1.336 famílias foram retiradas de casa em Porto Velho e em 14 distritos da capital.

Últimas