Conde libera cultos religiosos e anuncia multa para quem não usar máscara

A Prefeitura de Conde publicou, nessa quarta-feira (15), um novo decreto municipal

A Prefeitura de Conde publicou, nessa quarta-feira (15), um novo decreto municipal que amplia a flexibilização de atividades para os cultos religiosos e os serviços de salão de beleza, barbearias e estética e impõe a obrigatoriedade do uso de máscara. O decreto também prevê a suspensão das aulas presenciais do sistema municipal de educação e das atividades dos grupos de convivência vinculados ao Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos até o dia 15 de agosto.

O novo decreto prevê multa de R$ 100 para quem não usar máscara em espaços públicos ou de atendimento. O decreto mantém a restrição das atividades comerciais, exceto por meio de delivery e drive-thru, e os estabelecimentos que infringirem essa regra poderão ser multados em até R$ 3 mil.

A autorização de funcionamento de cultos religiosos, salões de beleza e barbearias ocorre após a gestão ter realizado reuniões com representações dos dois segmentos para discutir medidas e protocolos de segurança contidos no decreto. Os cultos e celebrações serão permitidos, desde que atendam à capacidade máxima de 30% do total, o distanciamento e os protocolos de higienização.

Na próxima semana, integrantes da Prefeitura de Conde devem ser reunir com representantes do trade turístico na cidade, a exemplo de proprietários de bares e restaurantes, pousadas e hotéis e os comerciantes do Mercado Municipal. Na sequência, será a vez dos representantes de academias de musculação. O objetivo é pactuar medidas e protocolos de segurança para evitar a disseminação do novo coronavírus.

De acordo com a prefeita Márcia Lucena, com base em trabalho estatístico desenvolvido pelo professor Rodrigo Vianna, da UFPB, o município de Conde está no meio da curva de crescimento do novo coronavírus.

“A projeção para os próximos 15 dias é de crescimento dessa curva e se conseguirmos diminuir a velocidade, teremos mais sucesso no combate à pandemia. A cidade de Conde não tem estrutura em saúde para tratar pessoas com sintomas graves. É preciso ter responsabilidade, cuidado e sermos solidários uns com os outros e esperar um pouco mais esses 15 dias para tomar decisões com mais segurança”, reforçou Márcia.