João de Deus

Cidades Corpo de japonesa é encontrado em propriedade de João de Deus

Corpo de japonesa é encontrado em propriedade de João de Deus

Cadáver da vítima, desaparecida desde 10 de novembro, foi localizado por cães farejadores dos bombeiro. Um suspeito de 18 anos foi preso

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV

Turista japonesa Hitomi Akamatsu

Turista japonesa Hitomi Akamatsu

Reprodução/Record TV

O corpo de uma turista japonesa foi encontrado escondido entre pedras próximo a uma cachoeira, na propriedade onde o médium João de Deus fazia atendimentos, em Abadiânia, no estado de Goiás, nesta terça-feira (17).

Hitomi Akamatsu estava desaparecida desde o dia 10 de novembro. Um jovem foi preso depois de confessar ter assaltado e matado a mulher no local. A japonesa, de 43 anos, morava no Brasil há dois anos e fez por um ano tratamento contra um câncer.

Akamatsu foi uma das vítimas do acidente nuclear em Fukushima em 2011. Desenganada por médicos japoneses, ela veio tentar se recuperar do câncer com com cirurgias espirituais de João de Deus. 

Câmeras flagraram suspeito de matar turista japonesa

Câmeras flagraram suspeito de matar turista japonesa

Reprodução/Record TV

Imagens de um circuito de segurança mostram quando o suspeito, que confessou o assassinato, deixa o local do crime. O  vídeo é de uma casa que fica nas proximidades da cachoeira localizada dentro da casa Dom Inácio de Loyola. A imagem mostra o jovem de bicicleta, com uma roupa branca jogada sobre o ombro direito. Segundo a Polícia Civil, a peça de vestuário pode ter sido roubada da vítima. O corpo foi descoberto após o Corpo de Bombeiros realizar buscas com cães farejadores. 

O suspeito, indiciado por latrocínio (roubo seguido de morte) e ocultação de cadáver, tem 18 anos. Quando menor de idade, ele teve duas passagens pela polícia. Segundo policiais, ele disse que tinha uma dívida por drogas e estava sendo cobrado. A investigação tenta esclarecer se a mulher foi também vítima de estupro. 

João Teixeira de Farias, o João de Deus, foi condenado pela Justiça por cometer crimes sexuais contra mulheres que iam ao local para atendimentos espirituais. Ele cumpre prisão domiciliar em Anápolis, a 55 km de Goiânia. João de Deus nega as acusações. A defesa dele recorreu das sentenças.

Últimas