Cidades Corpos de vítimas de acidente no PR são levados em avião ao Pará

Corpos de vítimas de acidente no PR são levados em avião ao Pará

Aeronave com vítimas hospitalizadas em unidades de saúde do Paraná e Santa Catarina deve chegar a 00h da quinta-feira (28)

  • Cidades | Do R7*

Resumindo a Notícia

  • Vítimas de acidente de ônibus em Guaratuba (PR) são levadas ao Pará
  • Previsão é que aeronave com vítimas e familiares chegue ao estado às 00h da quinta-feira (28)
  • Nove vítimas com vida e 18 urnas com corpos são transportados
  • Um corpo foi entregue à família para ser sepultado em Palhoça (SC)
Acidente com ônibus no Paraná deixa 19 vítimas fatais

Acidente com ônibus no Paraná deixa 19 vítimas fatais

Reprodução/RicMais

Os corpos das vítimas do acidente de ônibus em Guaratuba, no Paraná, começaram, nesta quarta-feira (27) a ser transportados para o Pará, ponto de origem do coletivo. A previsão do governo paraense é de que o avião com vítimas hospitalizadas em unidades de saúde dos estados do Paraná e de Santa Catarina chegue a 00h da próxima quinta-feira (28) no Aeroporto Internacional de Belém. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), após a alta dos passageiros que estavam hospitalizados e a finalização dos procedimentos periciais dos passageiros que morreram, nove vítimas com vida e 18 urnas com corpos de passageiros que morreram, além de familiares que foram até o local serão levados de Curitiba, no Paraná, às 21h desta quarta-feira para Belém, no Pará, com previsão de chegada às 00h30 de quinta-feira.

As vítimas serão transportadas em um voo comercial custeado pelo governo do Pará.  Segundo a Segup, um corpo foi entregue à família para que seja sepultado em Palhoça, cidade localizada na Região Metropolitana de Santa Catarina.

O contato com familiares das vítimas e o auxílio para o processo de reconhecimento e traslado dos corpos são realizados por uma equipe formada pelo governo do Estado, composta por representantes da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Polícia Civil e Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e uma psicóloga.

"Deslocamos uma equipe composta por vários integrantes do Sistema de Segurança Pública para que servisse não só de ponte de informação com familiares, mas também que pudesse cuidar de todo o trâmite burocrático, que é natural em situações como essa", afirmou Ualame Machado, secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social.

Os corpos serão entregues ao CPC Renato Chaves do Pará, para que possam chegar aos seus familiares. "Viabilizamos também o retorno daqueles que estão com lesões leves e que estão em hospitais no Estado do Paraná, para que possam vir ao Pará ficar junto de suas famílias."

Segundo ele, há possibilidade de passageiros que constavam da lista que circulou pela internet possam ter desembarcado do ônibus antes do acidente, e que outros passageiros tenham embarcado. "É importante esclarecer à sociedade que uma lista divulgada em redes sociais, da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), é a lista de passageiros que saíram do Pará, de Ananindeua", disse.

"Não quer dizer que todos estavam dentro do ônibus no momento em que ocorreu o acidente. Alguns haviam desembarcado e, por outro lado, outras pessoas também haviam embarcado no meio do caminho. Então, a informação tem que ser checada com precisão para divulgar a informação correta", afirmou o secretário.

Os corpos serão recebidos por uma equipe do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, no Aeroporto Internacional de Belém. O órgão informou que tomou as providências para o transporte das urnas até a sede do CPC, localizada no bairro do Mangueirão, com apoio do Corpo de Bombeiros Militar, que vai ceder um caminhão.

Uma equipe de servidores deve atender os familiares das vítimas, no dia em que os corpos derem entrada no Centro de Perícias. "Teremos um servidor de plantão para atender aos familiares que comparecerem ao Centro de Perícias para retirar o corpo do seu familiar. Na quinta-feira, o atendimento terá mais servidores, para dar celeridade à liberação", informou  Celso Mascarenhas, perito criminal e diretor-geral do CPC Renato Chaves.

A liberação dos corpos ocorrerá com a presença dos familiares que devem ter documentos originais de identificação, como RG, Carteira de Trabalho e Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O ônibus saiu de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, na última sexta-feira (22), às 19h, com destino a Balneário Camboriú, na região sul.

* Com colaboração de Thaís Travassos, da Record TV

Últimas