Correio do Povo Terrenos viram depósito de lixo e entulhos em Tramandaí Sul

Terrenos viram depósito de lixo e entulhos em Tramandaí Sul

Descuido com os terrenos acaba favorecendo procriação de cobras nos locais

Descuido com os terrenos acaba favorecendo procriação de cobras nos locais

Terrenos viram depósito de lixo e entulhos em Tramandaí Sul Crédito: Guilherme Almeida

Terrenos viram depósito de lixo e entulhos em Tramandaí Sul Crédito: Guilherme Almeida

Correio do Povo

Mesmo com as constantes notificações enviadas aos proprietários dos terrenos localizados em Tramandaí Sul, uma das praias que compõem a orla marítima de Tramandaí, no Litoral Norte, muitos continuam tomados pela vegetação alta e por entulhos deixados por pessoas da localidade. “Eles se tornam depósitos de materiais, desde restos de obras, galhos, até sofás velhos. Tem de tudo. Muitos carroceiros passam e levam embora o que podem, o resto fica jogado, servindo de criador de insetos e cobras”, reclamou o morador Silvério Batista, 54 anos. Conforme ele, já houve relatos de que até cobras já foram vistas. “As pessoas precisam ter responsabilidade e lembrar que há moradores que vivem aqui e que não vem apenas para aproveitar a praia. É preciso ter consciência”, cobrou. A reportagem do Correio do Povo constatou, em apenas uma quadra, na rua Paraná, pelo menos três terrenos em situação delicada. Em um deles, o roçador Alexandre Araújo, 42 anos, trabalhava. Contratado pela proprietária, uma moradora de Porto Alegre, fazia a roçada. “Nós estamos deixando tudo organizado para que não haja queixa dos vizinhos. Nessa época de veraneio temos bastante serviço, principalmente o de corte de grama em casas que são utilizadas nessa época”, explicou. Em média, a limpeza de uma área de 25 metros por 12 metros custa R$ 400. “É importante que as pessoas tenham o cuidado de deixar tudo organizado para não prejudicar os outros”, ponderou. Araújo salienta que a prefeitura é atuante quanto a cobrança de providências por parte dos donos das áreas. “Quando eles são notificados, logo procuram quem faça o serviço para eles.”

    Access log