Cidades Dia das Mães pet: os cuidados para gestação de cães e gatos

Dia das Mães pet: os cuidados para gestação de cães e gatos

Centro veterinário orienta sobre os cuidados durante gestação e depois do parto; acompanhamento é fundamental para a saúde

Pets também precisam de cuidados no pré e pós-parto

Pets também precisam de cuidados no pré e pós-parto

Pixabay

A espera de um bebê é sempre um momento especial e único para as mulheres. E no mundo pet não é nada diferente. Há grandes expectativas para a chegada dos filhotes tanto para os tutores quanto para as “mamães pets”. Essa experiência singular exige cuidados antes, durante e depois da gestação e são cruciais para garantir a saúde da “mãe” e dos “bebês”.

Os primeiros sinais de que vem bebezinhos por aí incluem inchaço das mamas e mudanças no comportamento: as fêmeas prenhes costumam ficar mais quietas, procuram lugares quentes para se deitar e falta de apetite.

Em geral, a gestação dura dois meses e, para garantir que tudo corra perfeitamente bem, é fundamental o acompanhamento veterinário.

“Assim como em humanos, fêmeas gestantes também precisam de cuidados especiais que garantem a sua saúde e a dos filhotes, como o pré-natal, que inclui exames de sangue e ultrassom”, explica a médica-veterinária Dra. Karina Midori, coordenadora Técnica do Centro Veterinário Seres, marca do Grupo Petz.

Foi o que aconteceu com a gata Luna, que deu à luz cinco filhotes após receber todos os cuidados de um pré-natal. Os seus donos optaram por fazer o parto em casa. A gravidez não havia sido planejada, mas os tutores ficaram muito orgulhosos da ninhada e seguiram à risca toddas as orientações do centro veterinário.

Os filhotes da gata Luna, que recebeu cuidados durante o pré-natal

Os filhotes da gata Luna, que recebeu cuidados durante o pré-natal

Divulgação/Centro Veterinário Seres

Cuidados especiais

Embora o período exija mais atenção, os preparativos para a chegada dos “bebês” começam na alimentação dos pets. As cadelas precisam de um aporte energético e nutricional maior ao longo da gestação, especialmente no terço final. Já para as gatas, os tutores precisam aumentar a dose de ração logo se confirme a gravidez. 

As atividades não estão descartadas, mas é preciso cautela. Segundo a especialista, nada de forçar muito as futuras “mamães”. As caminhadas leves podem e devem ser mantidas com as cachorras. Já as felinas, que são pets mais independentes, conseguem lidar bem com a chegada dos filhotes e, naturalmente, vão reduzir suas atividades.

E já que o foco é o bem-estar dos pets e seus filhotinhos, um ambiente acolhedor e aconchegante faz toda a diferença. “Este é um momento em que as cachorras e as felinas normalmente ficam mais reclusas e um pouco ariscas. Os tutores precisam preparar um cantinho só delas que seja quente e esteja sempre limpo, e evitar situações que possam causar estresse. Isso reduzirá as chances de complicações durante e após o parto”, finaliza Dra. Karina.

Últimas