Dia Online Motorista de aplicativo é preso por agredir e amarrar a esposa para fazer corrida, em Brasília

Motorista de aplicativo é preso por agredir e amarrar a esposa para fazer corrida, em Brasília

Suspeito tinha um mandado de prisão em aberto contra ele pela Lei Maria da Penha por agredir a mulher.

Suspeito tinha um mandado de prisão em aberto contra ele pela Lei Maria da Penha por agredir a mulher.

Um motorista de aplicativo que não teve o nome revelado foi preso na noite do último domingo (14/4) próximo a Octagonal, em Brasília, suspeito de agredir e deixar a esposa amarrada em casa para poder trabalhar no app. As informações são da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) que efetuou a prisão do suspeito.

Conforme apurou o Dia Online após receber denúncias sobre a agressão do motorista do app contra a esposa na noite de ontem, através do Comando de Operações da Polícia Militar (Copom), uma equipe do Gtop 23 encontrou o carro no qual o motorista estava.

Segundo a PMDF, o carro que o motorista estava conduzindo foi reconhecido devido as características repassadas e através da placa do veículo, que havia sido informada pelo denunciante do caso. Na abordagem o condutor afirmou aos policiais que estava trabalhando no momento no app de transporte.

Motorista de aplicativo tinha costume de sair para trabalhar e deixar a esposa amarrada em casa

Segundo as informações levantadas pela polícia, essa não foi a primeira vez que o motorista de app saiu para trabalhar e deixou a mulher amarrada em casa. Durante o levantamento das informações, foi constatado que o suspeito tinha o costume de sair para fazer as corridas pelo aplicativo e deixar a esposa amarrada na residência do casal.

Diante das informações levantadas na prisão do suspeito, a polícia efetuou sua prisão em flagrante e encaminhou o motorista de app para a 30ª Delegacia de Polícia (DP) da cidade. Na delegacia os policiais descobriram que o motorista de aplicativo tinha um mandado de prisão aberto contra ele, devido a Lei Maria da Penha, por agredir a esposa.

Além de descobrir que o homem tinha um mandado de prisão em aberto em seu desfavor, o motorista de app foi autuado pelos crimes violência doméstica, lesão corporal, cárcere privado e estupro.