Diário Digital Casa onde o poeta Manoel de Barros viveu pode se tornar museu

Casa onde o poeta Manoel de Barros viveu pode se tornar museu

Manoel Wenceslau Leite de Barros, um dos mais importantes poetas brasileiros, nasceu em Cuiabá (MS). Mas em 1960 veio morar em Campo Grande, onde viveu com sua família e passou seus últimos anos de vida. Agora, por iniciativa de um descendente e um amigo, a casa onde ele viveu poderá se tornar um museu aberto […] O post Casa onde o poeta Manoel de Barros viveu pode se tornar museu apareceu primeiro em Diário Digital.

Manoel Wenceslau Leite de Barros, um dos mais importantes poetas brasileiros, nasceu em Cuiabá (MS). Mas em 1960 veio morar em Campo Grande, onde viveu com sua família e passou seus últimos anos de vida.

Agora, por iniciativa de um descendente e um amigo, a casa onde ele viveu poderá se tornar um museu aberto à população. O projeto que será encaminhado à prefeitura está em fase de elaboração.

Manoel residiu na área central da Capital, no Jardim dos Estados. Ali conviveu com sua esposa Stella Barros, filhos e netos.

Considerado um dos principais poetas contemporâneos, Manoel faleceu em 2014. Mas sua poesia segue viva em nossos corações e memórias.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Silvestre quer proporcionar à atual e às futuras gerações a oportunidade
de conhecer a biografia e obras de seu avô. (Foto: Marco Miatelo/ Diário Digital)

Agora imaginem, a possibilidade de poder conhecer de pertinho, um pouco mais da história e intimidade desse grande gênio da literatura? Neste local, ele viveu por mais de 40 anos. Neste endereço, ele passava suas manhãs escrevendo.

O neto Silvestre de Barros, em conjunto com o Jornalista Pedro Spindola -- que construiu laços de amizade com Manoel por mais de 33 anos - trabalham para permitir esse acesso ao público.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
"Nossa amizade tem mais de 30 anos, eu frequentei muito esta casa", comenta Pedro Spindola, conhecedor da obra e da
vida do poeta. (Fotos: Marco Miatelo)

A ideia é tornar a residência, que foi construída pelo próprio avó, em um Museu. Aberto ao público exatamente como o poeta deixou, com móveis, obras de arte o escritório com biblioteca e, ainda, mais de 300 fotos do poeta, toda a sua obra, documentários e filmes, depoimentos de intelectuais e um grande acervo , juntado ao longo de 30 anos.

Tudo será devidamente organizado e catalogado e disponibilizado ao público, através de modernos recursos áudios visuais. É uma iniciativa louvável e necessária, uma vez que Manoel de Barros é uma unanimidade nacional quando trata de poesia.

"A ideia do museu surgiu mais ou menos 2 anos atras. Eu já estava até desistindo, foi quando conversei com o Pedro, e ele abraçou junto comigo a ideia, e resolvemos buscar recursos. Essa casa guarda muitas lembranças boas, seria um orgulho para mim ver esse projeto se tornar real. Me sentiria honrado em realiza-lo em memória de meu avô. Para isso estamos buscando parcerias", contou Silvestre de Barros.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Cantinho preferido de Manoel, escritório biblioteca. Onde ele passava as manhãs criando e escrevendo. (Fotos: Marco Miatelo)

"A mãe falou: Meu filho você vai ser poeta!
Você vai carregar água na peneira a vida toda.
Você vai encher os vazios
com as suas peraltagens,
e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos!"...

O menino que carregava água na peneira- Manoel de Barros.

O post Casa onde o poeta Manoel de Barros viveu pode se tornar museu apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas