Diário Digital Deputado Jamilson Name e outros alvos da Omertà viram réus em processo

Deputado Jamilson Name e outros alvos da Omertà viram réus em processo

O deputado estadual Jamilson Name (sem partido) se tornou réu após as investigações da 6ª fase da Operação Omertà, em dezembro do ano passado, e passa a ser acusado de integrar organização criminosa, exploração do jogo do bicho e lavagem de dinheiro. Além do parlamentar, a denúncia aponta outras pelo menos mais 10 pessoas envolvidas […] O post Deputado Jamilson Name e outros alvos da Omertà viram réus em processo apareceu primeiro em Diário Digital.

O deputado estadual Jamilson Name (sem partido) se tornou réu após as investigações da 6ª fase da Operação Omertà, em dezembro do ano passado, e passa a ser acusado de integrar organização criminosa, exploração do jogo do bicho e lavagem de dinheiro. Além do parlamentar, a denúncia aponta outras pelo menos mais 10 pessoas envolvidas no esquema.

O juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, recebeu a denúncia feita pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), na última sexta-feira (15).

A justiça determinou que o deputado cumpra medidas cautelares como não sair da cidade, nem ter contato com outros réus e testemunhas do processo ou mudar de endereço. Apesar do foro privilegiado, Jamil foi alvo da Omertà e teve mandado de buscas cumpridos na casa onde mora e na Pantanal Cap, autorizados pela juíza Eucélia Moreira Cassal, da 3ª Vara Criminal, pelos crimes apurados não terem relação com cargo de deputado estadual.

A Pantanal Cap ou Fena Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda, de propriedade de Jamilson Name, continua lacrada e com as atividades suspensas, desde 2 de dezembro de 2020, após cumprimento de mandado de busca e apreensão durante a sexta fase da Operação Omertà, denominada “Arca de Noé”.  A justiça ainda determinou a suspensão das atividades da empresa e o bloqueio de R$ 18 milhões de suas contas.

Na época, foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra Cláudio Rosa de Moraes; Augustinho Barbosa Gomes; Darlene Luiza Borges; José Ney Martins, Cícero Balbino; Leonir Pereira de Souza; Raimundo Nery de Oliveira; Patrícia Pereira Lyra; Tatiana Freitas; Marcilene de Lima Ferreira; Renato de Lima Fontalva e Ricardo Alexandre Cáceres Gonçalves. Eles também foram denunciados pelos crimes.

Jamilson é filho de Jamil Name e irmão de Jamil Name Filho, o “Jamilzinho”, que estão presos desde setembro de 2019, na primeira fase da operação, acusados de chefiarem milícia armada responsável por execuções em Mato Grosso do Sul.

O advogado de defesa de Jamilson Name, afirmou não ter sido notificado de nenhuma decisão até o momento ou, até mesmo, da denúncia e negou qualquer participação do cliente nos crimes citados.

O post Deputado Jamilson Name e outros alvos da Omertà viram réus em processo apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas