Diário Digital Exposição fotográfica mostra dura realidade de trabalho escravo em MS

Exposição fotográfica mostra dura realidade de trabalho escravo em MS

A exposição fotográfica “Trabalho Escravo 2021”, que representa as condições laborais em segmentos com grande incidência de irregularidades relativas à saúde e à segurança do trabalhador, será realizada no período de 25 a 7 de fevereiro nos shoppings Campo Grande e Norte Sul Plaza.  O acervo é composto por 52 painéis com fotografias, capturadas pelos auditores […] O post Exposição fotográfica mostra dura realidade de trabalho escravo em MS apareceu primeiro em Diário Digital.

A exposição fotográfica “Trabalho Escravo 2021”, que representa as condições laborais em segmentos com grande incidência de irregularidades relativas à saúde e à segurança do trabalhador, será realizada no período de 25 a 7 de fevereiro nos shoppings Campo Grande e Norte Sul Plaza. 

O acervo é composto por 52 painéis com fotografias, capturadas pelos auditores fiscais do trabalho durante as operações conjuntas de combate ao trabalho escravo realizadas nos municípios de Mato Grosso do Sul. As imagens revelam as condições laborais degradantes às quais foram submetidos os trabalhadores resgatados de propriedades rurais. 

A mostra é organizada pela Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae/MS), com apoio do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul(MPT/MS), Fundação do Trabalho de MS(Funtrab) e Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho(Sedhast), promovendo ações para sensibilizar a sociedade civil e poder público sobre a necessidade de vigilância e enfrentamento constantes ao problema. Durante esse período, acontecem outras ações, como divulgação em busdoor na Capital. 

Um período específico para conscientizar sobre o trabalho escravo 

O dia 28 de janeiro é marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, data criada em 2009 para homenagear trabalhadores assassinados durante uma inspeção para apurar denúncias em fazendas da região de Unaí (MG). O Brasil reconheceu a existência de trabalho análogo à escravidão em 1995, o qual está tipificado no Artigo 149 do Código Penal como aquele em que pessoas estão submetidas a trabalhos forçados; jornadas tão intensas que podem causar danos físicos; condições degradantes; e restrição de locomoção em razão de dívida contraída com empregador ou preposto. 

A Fundação do Trabalho de MS (Funtrab) busca resguardar de várias maneiras os trabalhadores no Estado, e dentre as diversas ações das políticas públicas do trabalho está o combate ao trabalho análogo à escravidão. Para tanto, em 18 de setembro de 2019 o Governo do Estado instituiu por meio de decreto a Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo(Coetrae/MS) que faz parte da Comissão Nacional de Combate ao Trabalho Escravo(Conatrae).  

“Compor o Coetrae/MS foi uma grande conquista, entramos na rota nacional no enfrentamento ao trabalho escravo, fomos um dos últimos Estados a instalar esta Comissão, houve várias tentativas frustradas, mas agora assumimos nosso lugar. É fundamental que a população se conscientize sobre a existência e os malefícios da escravidão em pleno século 21 ”, pontua Marcos Derzi, diretor-presidente da Funtrab.  

Locais da exposição:

 Shopping Campo Grande(Av. Afonso Pena, 4.909 – Santa Fé) 

Shopping Norte Sul Plaza(Av. Ernesto Geisel, 2.300 – Bairro Jóquei Club) 

Horários: 10 às 22h(segunda a sábado) / 12 às 20h(domingos) 

O post Exposição fotográfica mostra dura realidade de trabalho escravo em MS apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas