Feminicídio é descartado pela polícia

A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) informou que a investigação sobre a morte de Leonida Freitas, 48 anos, no meio da rua, no Bairro Los Angeles, na manhã desta quarta-feira (17), será distribuído para a delegacia da área, já que o crime de feminicídio, supostamente provocado por agressões sofridas pelo marido da vítima, […] O post Feminicídio é descartado pela polícia apareceu primeiro em Diário Digital.

A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) informou que a investigação sobre a morte de Leonida Freitas, 48 anos, no meio da rua, no Bairro Los Angeles, na manhã desta quarta-feira (17), será distribuído para a delegacia da área, já que o crime de feminicídio, supostamente provocado por agressões sofridas pelo marido da vítima, foi descarto.

“Em que pese a notícia de agressão física passada, a causa morte da vítima fatal não foi em decorrência das lesões corporais sofridas. Após contato com o médico legista que realizou a perícia médica foi confirmada que a causa morte da mesma não teria sido provocada pelas lesões que ele sofrera no domingo passado”, informou uma das delegadas da Deam.

O caso foi registrado como morte a esclarecer e de acordo com o boletim de ocorrência, a filha da vítima, disse que na segunda-feira (15), ela soube através de um vizinho da mãe que no domingo (14), na parte da manhã, Leonida foi agredida fisicamente pelo companheiro.

Na terça-feira (16), a mulher contou à polícia que foi até a casa da mãe e a encontrou bastante debilitada, com diversos hematomas no rosto, peito, costas e membros e ouviu da própria mãe a confirmação das agressões sofridas pelo marido que estava muito alterado e agressivo devido ao uso de droga e que, após o espancamento, fugiu.

Leonida não quis passar por atendimento médico, nem registrar ocorrência contra o marido. Comportamento que, segundo relatos dos vizinhos era comum. Por medo, a vítima preferia não denunciar o marido e até acobertava a violência sofrida.

A filha disse ainda que comprou medicamentos para que a mãe tomasse e que Leonida conviveu com o marido por 15 anos e sempre foi agredida de diversas formas, tanto física, moral e psicologicamente. Na maioria das vezes, a mãe não registrava ocorrência e quando registrava, retirava a representação.

A outra filha de Leonida contou que na terça (16), por volta das 20h, foi a última vez que foi na casa da mãe, fez curativos nela e deu remédios. Até ser chamada pelos vizinhos, por volta das 05h30 da manhã desta quarta-feira porque a mãe estava caída na rua, na equina de casa.

O vizinho que ajudou a socorrer Leonida disse que ela saiu na rua pedindo ajuda, sem conseguir respirar. Em seguida, caiu na rua.  O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas a morte foi confirmada às 6h13. Até o momento, o marido de Leonida não foi localizado.

Sobre as denúncias de agressão, foi registrado na Deam boletim de ocorrência referente ao possível crime de lesão corporal cometido no domingo, tendo como suspeito o marido da vítima.  As investigações desta denúncia serão conduzidas pela Delegacia da Mulher.

“ Até o presente momento, nenhum familiar da vítima compareceu a Especializada para maiores informações, contudo, após o registro do BO de lesão corporal dolosa, os familiares serão intimados para oitivas”, explicou a polícia.

O post Feminicídio é descartado pela polícia apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas