Diário Digital Indústria de MS dribla pandemia e gera 6,4 mil novos empregos em um ano

Indústria de MS dribla pandemia e gera 6,4 mil novos empregos em um ano

A indústria de Mato Grosso do Sul manteve a geração de empregos no período em que pandemia do novo coronavírus atingiu a economia no planeta. Entre março de 2020 e março de 2021, o setor registrou 6.487 vagas formais de emprego, resultado de 67.516 contratações e 61.029 desligamentos. Com isso, a indústria de Mato Grosso […] O post Indústria de MS dribla pandemia e gera 6,4 mil novos empregos em um ano apareceu primeiro em Diário Digital.

A indústria de Mato Grosso do Sul manteve a geração de empregos no período em que pandemia do novo coronavírus atingiu a economia no planeta.

Entre março de 2020 e março de 2021, o setor registrou 6.487 vagas formais de emprego, resultado de 67.516 contratações e 61.029 desligamentos.

Com isso, a indústria de Mato Grosso do Sul foi o segundo setor econômico que mais gerou empregos no período, ficando atrás apenas do comércio, que gerou 6.929 vagas formais.

O segmento industrial ficou, ainda, à frente do setor de serviços, que respondeu por 6.129 vagas, e agropecuário, que gerou 961 postos de trabalho. O resultado corresponde ainda a 32% dos empregos criados em Mato Grosso do Sul no período indicado.

Em um ano de pandemia, as empresas que mais geraram empregos são as ligadas ao abate de suínos (1.468), abate de aves (1.213), fabricação de celulose (776), fabricação de açúcar (350), fabricação de óleos vegetais (264), construção (236) e fabricação de refrigeradores (175).

Ajustes - Na avaliação do presidente da FIEMS, Sérgio Longen, a indústria vem se ajustando às novas necessidades de produção decorrentes da pandemia e soube continuar produzindo, apesar das dificuldades. 

“Nós tivemos um cenário favorável em 2020 e fomos surpreendidos pela nova onda da covid-19 em 2021, mas de certa forma, a indústria vem se ajustando. E isso acabou por dar uma tranquilidade para a população em termos de suprimento com a indústria funcionando. A indústria vai bem aqui. Em contrapartida, em outros estados nem tanto. Esses números demonstram que o Sistema Indústria em Mato Grosso do Sul está no caminho certo”, avalia Longen.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, os números refletem o trabalho desenvolvido pelo governo do Estado em conjunto com a FIEMS para criar em Mato Grosso do Sul um ambiente favorável aos negócios.

“E um dos pontos importantes é que temos um foco muito grande no emprego. E o emprego obriga à procura por qualificação e o Sistema S está pronto para essa questão. Acho que o grande ganho também do Estado é essa parceria entre poder público e privado.

Eduardo Riedel, secretário de Estado de Infraestrutura, também reforçou que as ações que permitiram a criação de novas vagas de emprego. “Nós usamos um bordão que sempre foi trocar impostos por emprego. E a FIEMS nos ajudou a construir essa equação. Uma política fiscal mais arrojada gera oportunidades para a população. São oportunidades de emprego, de formação, de educação e aí entra todo o Sistema S dando suporte para esse ambiente de desenvolvimento”.

Na mesma linha, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa, ressaltou que o crescimento do setor industrial é o melhor tipo de política social que pode ser feita. “Porque isso gera emprego e renda. Não é à toa que o gasto do governo de Mato Grosso do Sul é o maior per capita do País e isso nos orgulha, porque estamos conseguindo gastar de forma inteligente os recursos que chegam a nós por meio de investimentos”.

O post Indústria de MS dribla pandemia e gera 6,4 mil novos empregos em um ano apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas