Diário Digital Mais 136 famílias de antiga favela receberão moradias na Capital

Mais 136 famílias de antiga favela receberão moradias na Capital

Mais 136 unidades habitacionais serão entregues pelo Governo do Estado e Prefeitura de Campo Grande no Bom Retiro, às 9h deste domingo (01). O projeto atende as famílias que viviam na comunidade Cidade de Deus em condições precárias.  Serão entregues 90 moradias finalizadas em 2019, bem como as 23 do ano passado e as 17 […] O post Mais 136 famílias de antiga favela receberão moradias na Capital apareceu primeiro em Diário Digital.

Mais 136 unidades habitacionais serão entregues pelo Governo do Estado e Prefeitura de Campo Grande no Bom Retiro, às 9h deste domingo (01). O projeto atende as famílias que viviam na comunidade Cidade de Deus em condições precárias.

 Serão entregues 90 moradias finalizadas em 2019, bem como as 23 do ano passado e as 17 concluídas neste ano. Entre os imóveis, oito são casas geminadas, de duas unidades ligadas uma à outra, dividindo espaço proporcional no lote. Assim como as demais, contam com área construída de 46,07m²; contendo dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço.

O investimento estadual no empreendido faz parte do Programa de Substituição de Moradia Precária. São quase R$ 1,3 milhão aplicado num período de quatro anos.

Estarão presentes, o prefeito da Capital, Marquinhos Trad, a diretora-presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), Maria do Carmo Avesani Lopez, e a diretora-presidente da Agência Municipal de Habitação de Assuntos Fundiários (Amhasf), Maria Helena Bughi, além de outras autoridades.

“A expectativa é grande para entregar as chaves a essas famílias restantes, além de celebrar com todas a inauguração dos imóveis. A partir de amanhã (domingo), um novo momento se iniciará no Bom Retiro, onde pais e filhos terão mais dignidade e qualidade de vida, e a certeza de que tanto Estado quanto Município, estão tornando em realidade os pedidos destas pessoas”, disse Maria do Carmo.

Conforme informativo da coordenadoria especial de planejamento da Agehab, a previsão de conclusão das obras estava previsto para o próximo mês de dezembro. Portanto, houve antecipação de cinco meses graças ao bom andamento dos trabalhos.

O loteamento Bom Retiro está localizado na região norte de Campo Grande, ao lado esquerdo da Avenida Tamandaré (sentido Universidade Católica Dom Bosco – UCDB).

Histórico do Bom Retiro - Criado em 2016, a área serviu como lugar de reassentamento para as famílias oriundas da extinta Comunidade Cidade de Deus, localizada no bairro Parque do Lageado, mediante um convênio com uma ONG (Organização Não Governamental), denominada Morhar Organização Social.

Quando a atual gestão municipal assumiu seu primeiro mandato em 2017, ficou constatado a irregularidade e ilegalidade do convênio que havia sido firmado através da evidência de inúmeras patologias de construção e de lotes vazios (sem casas construídas), resultando num remanejamento feito de maneira precária pelos antecessores nas áreas destinadas: Bom Retiro, Jardim Canguru, José Teruel I e II e Vespasiano Martins.

Programa Ação Casa Pronta - Logo após a constatação, foi instituído o Programa Ação Casa Pronta, parceria entre Estado e Município, que criou uma solução para readequação das casas existentes. O mesmo consistia em transformar para melhor a estrutura dos imóveis e ensinar profissões ligadas ao setor de construção civil aos moradores dessa comunidade. Boa parte dessas pessoas havia perdido a renda com a desativação do lixão de Campo Grande.

Tal parceria que reuniu Amhasf e Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat) por intermédio do Programa de Capacitação Profissional (Proinc), também contou com recursos do governo estadual para compra de materiais de construção e equipamentos de segurança do trabalho.

No ano de 2018 acontece a criação do canteiro de obras no Bom Retiro, sendo o primeiro de todas as áreas a receber o programa que agora será oficialmente finalizado neste domingo.

Força Feminina - O canteiro de obras no Bom Retiro mostrou aos olhos de quem ali observou uma realidade na qual a participação ativa e massiva das mulheres na construção das casas, melhorou a situação em que as próprias famílias se encontravam.

São diversas personalidades femininas que, graças à parceria entre os entes públicos, obtiveram capacitação profissional. Um exemplo é a beneficiária, Luzia Vicente da Silva. Ela afirma que o projeto e a carpintaria mudaram sua história, e de todos os ex-moradores da Cidade de Deus.

As beneficiárias trabalham também na manutenção da horta comunitária, que existe próximo do loteamento.

Parte de um todo - Com a conclusão das obras no Bom Retiro, uma parte da comunidade é atendida com 100% daquilo que o Governo do Estado se comprometeu a fazer. Agora, os remanescentes do residencial Jardim Canguru e do loteamento José TeruelI e II, estão mais pertos de viverem essa realidade.

Na última segunda-feira (26), foi assinado um Aditivo de Convênio entre Agehab e Amhasf, no qual um recurso de R$ 7,8 milhões assinado por Reinaldo Azambuja, entre outras autoridades,vai garantir a construção e a conclusão de mais 150 unidades habitacionais.

Serão 52 unidades no residencial Jardim Canguru e 98 no loteamento José Teruel

O post Mais 136 famílias de antiga favela receberão moradias na Capital apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas