Diário Digital Membros de facção são condenados a mais de 80 anos por “tribunal do crime”

Membros de facção são condenados a mais de 80 anos por “tribunal do crime”

Quase um ano e cinco meses depois, a justiça de Mato Grosso do Sul condenou nesta terça-feira (18) a 80 anos de prisão cinco pessoas que foram consideradas membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), presas em Naviraí (MS). O grupo foi preso em flagrante quando ‘julgavam’ um homem no tribunal do crime […] O post Membros de facção são condenados a mais de 80 anos por “tribunal do crime” apareceu primeiro em Diário Digital.

Quase um ano e cinco meses depois, a justiça de Mato Grosso do Sul condenou nesta terça-feira (18) a 80 anos de prisão cinco pessoas que foram consideradas membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), presas em Naviraí (MS). O grupo foi preso em flagrante quando ‘julgavam’ um homem no tribunal do crime acusado injustamente por estupro.

Segundo a polícia, o crime ocorreu no dia 1º° de abril de 2019. Agentes da 1ª Delegacia da Polícia Civil de Naviraí, com apoio de um policial do serviço reservado da Polícia Militar, estouraram um cativeiro onde estava ocorrendo julgamento, através do “tribunal do crime”, por membros da facção PCC sobre um suposto estupro. Na ação foram detidas nove pessoas, sendo cinco homens, uma mulher e três adolescentes. Durante as investigações foi confirmado que a vítima era inocente.

Baseado na investigação que formalizou o Inquérito Policial, o Ministério Público Estadual denunciou os autores pelos crimes de organização criminosa majorada pela participação de adolescentes, tortura majorada pelo sequestro e corrupção de menores.

 Durante o processo, a defesa de um dos autores alegou insanidade, fazendo com que o ele fosse desmembrado. Já os adolescentes, conforme prevê a legislação, respondem por ato infracional em processo separado dos demais.

O post Membros de facção são condenados a mais de 80 anos por “tribunal do crime” apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas