Doenças e acidentes de trabalho na PB geram gastos de R$ 1 bi

Doenças e acidentes relacionados ao trabalho geraram gastos estimados em R$ 96

Doenças e acidentes relacionados ao trabalho geraram gastos estimados em R$ 96 bilhões ao Brasil de 2012 até hoje (afastamentos acidentários, auxílio-doença, aposentadoria por invalidez), segundo dados do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho – ferramenta do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Organizaçãoo Internaiconal do Trabalho (OIT (https://smartlabbr.org/sst). Na Paraíba, os gastos somaram aproximadamente R$ 1 bilhão (de 2012 a 2018).

De acordo com a ferramenta, já são mais de 5,5 milhões de acidentes de trabalho no país registrados de 2012 até hoje, somente de trabalhadores com carteira assinada, uma média de uma notificação a cada 49 segundos.

Na Paraíba, os últimos dados (2012 a 2018) mostram mais de 6,2 mil acidentes de trabalho, uma média de 16 casos por dia. “Nesta segunda, 27 de julho, Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, o MPT reafirma o seu compromisso na prevenção e no combate a acidentes laborais e doenças ocupacionais, que geram prejuízos aos trabalhadores e a toda a sociedade”, disse o MPT.

Anualmente, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a economia perde cerca de 4% do Produto Interno Bruto em razão de doenças e acidentes de trabalho, o que, além das perdas humanas, destaca a perda de produtividade causada por ambientes de trabalho inseguros ou insalubres.

A agenda 2030, do Desenvolvimento Sustentável, em sua meta 8.8, destaca a necessidade de promover ambientes de trabalho seguros e protegidos para todos os trabalhadores, incluindo os trabalhadores migrantes, em particular as mulheres migrantes, e pessoas em empregos precários.

“A prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais é medida imperativa para preservar a saúde e a integridade física dos empregados, bem como para evitar uma possível penalização da empresa pelas ocorrências de eventuais acidentes. A prevenção é sempre a melhor medida”, ressaltou a vice-procuradora chefe do MPT-PB, Andressa Ribeiro Coutinho.

Live marca a data

Para marcar o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, será realizado um evento virtual com o tema “A importância do Serviço Especializado de Segurança e Meio Ambiente de Trabalho na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais em tempos de pandemia do coronavírus”. A procuradora do Trabalho Marcela Asfóra será uma das debatedoras da live que começa às 19h. Para participar, é preciso acessar meet.google.com/kmf-tish-zhc e inserir o código kmf-tish-zhc.

“A Covid-19 pode vir a ser considerada doença ocupacional caso a contaminação seja resultante de exposição ou contato direto do empregado com o coronavírus em razão da natureza do trabalho desenvolvido pelo trabalhador”, informou a procuradora do Trabalho Marcela Asfóra.

A live será realizada pela Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho da Paraíba (AEST-PB), Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho (Sintest-PB), Associação Paraibana dos Médicos do Trabalho (APAMT), Superintendência Regional do Trabalho da Paraíba (SRT-PB) e Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB).

Doenças e agravos mais comuns

Segundo dados do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho  (https://smartlabbr.org/sst), as doenças e agravos notificados pela Vigilância em Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde mais frequentes são: Acidente de Trabalho Grave, Câncer Relacionado ao Trabalho, Dermatoses Ocupacionais, Acidente de Trabalho com Exposição a Material Biológico, Intoxicação Exógena Relacionada ao Trabalho, LER/DORT, Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) Relacionada ao Trabalho, Pneumoconioses Relacionadas ao Trabalho, Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho e Acidente de Trabalho Grave envolvendo Crianças e Adolescentes (0 a 17 anos).

O Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho é uma ferramenta pública. Esses e outros dados podem ser acessados pelo endereço https://smartlabbr.org/sst.