Cidades Eleitor pode regularizar situação mesmo com resolução que impede sanções

Eleitor pode regularizar situação mesmo com resolução que impede sanções

Mesmo com a aprovação da Resolução nº 23.637 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendendo temporariamente as consequências para quem não justificou a ausência às urnas dentro do prazo e não pagou a multa eleitoral, o eleitor pode regularizar a situação na Justiça Eleitoral. Para isso, é preciso emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) no Portal […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Título de eleitor (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Mesmo com a aprovação da Resolução nº 23.637 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendendo temporariamente as consequências para quem não justificou a ausência às urnas dentro do prazo e não pagou a multa eleitoral, o eleitor pode regularizar a situação na Justiça Eleitoral.

Para isso, é preciso emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) no Portal do TSE ou no respectivo cartório eleitoral, que, após a confirmação do pagamento, fará o registro do recolhimento no cadastro do eleitor.

A resolução foi adotada devido ao agravamento da crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19, que restringiu o trabalho presencial nos cartórios eleitorais.

Enquanto a resolução estiver vigente, o cidadão não sofrerá as sanções estabelecidas pelo artigo 7º do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965), como o impedimento de obter passaporte ou carteira de identidade, fazer inscrição em concurso ou prova para cargo ou função pública e receber remuneração de função ou emprego público.

A providência é momentânea e só vale para as pessoas que não compareceram à votação do ano passado. Após o término do prazo de suspensão, o eleitor deve pagar a multa aplicada para regularizar sua situação na Justiça Eleitoral ou pedir ao juiz eleitoral que o isente da penalidade.

Caso contrário, poderá ficar sujeito às restrições citadas anteriormente se o Congresso Nacional não aprovar a anistia das multas eleitorais aplicadas aos eleitores faltosos, nem afastar a exigência de justificativa e as consequências da ausência às urnas.

Emissão de certidões

Como os códigos de Atualização de Situação do Eleitor (ASE) permanecerão inativos enquanto perdurar a norma, o eleitor poderá emitir a certidão de quitação eleitoral mesmo sem ter votado ou justificado a falta nas Eleições 2020, desde que não tenha impedimentos ou débitos relativos à ausência em outras votações.

Últimas