Cidades Familiares de criança que morreu ao cair do 22º andar de prédio em João Pessoa são convocados para depor à Polícia Civil

Familiares de criança que morreu ao cair do 22º andar de prédio em João Pessoa são convocados para depor à Polícia Civil

A Polícia Civil da Paraíba já investiga a morte da menina de nove anos que caiu do 22º andar de um prédio localizado no Bairro dos Estados, em João Pessoa. O caso aconteceu na madrugada do sábado (22). Familiares da criança serão convocadas a depor formalmente nesta semana, segundo informou a delegada Flávia Assad, da […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Criança caiu do 22º andar de prédio no Bairro dos Estados (Foto: Reprodução/Google Street View)

A Polícia Civil da Paraíba já investiga a morte da menina de nove anos que caiu do 22º andar de um prédio localizado no Bairro dos Estados, em João Pessoa. O caso aconteceu na madrugada do sábado (22). Familiares da criança serão convocadas a depor formalmente nesta semana, segundo informou a delegada Flávia Assad, da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DCCPES). A Polícia Civil também analisa imagens gravadas por circuitos de segurança da região.

“Já foram solicitadas as perícias necessárias e as imagens de câmeras de segurança, mas esses dados ainda precisam ser analisados com cautela e testemunhas serão arroladas ao inquérito. Esse é um trabalho que demanda tempo, pois temos que analisar cada informação com cuidado”, explica a delegada Flávia Assad.

O prédio onde aconteceu o caso fica na Avenida Mato Grosso e a vítima teria batido em uma árvore antes de atingir o chão. De acordo com a Polícia Civil, o pai da criança desceu do apartamento e removeu o corpo dela do local. A menina foi levada de volta para o apartamento e deixada no sofá. Em seguida, autoridades foram acionadas.

Apesar de ainda não ter sido ouvido formalmente, o pai da criança alegou à equipe policial que foi ao prédio na madrugada de sábado que não queria que a menina ficasse exposta na rua e por isso a levou de volta para o apartamento.

A rede de proteção da janela do quarto da criança estava cortada e foi apreendida pela perícia. A primeira versão da família — também concedida extraoficialmente — é de que a menina estava sozinha no quarto no momento da queda. Os familiares alegaram que entraram no quarto para pedir que a menina parasse de usar o celular e, ao voltar instantes depois para verificar a situação, a criança já teria caído. Além da rede de proteção, peritos também apreenderam a tesoura que teria sido utilizada para cortar o equipamento de segurança.

Últimas