Cidades Famup e Tribunal do Trabalho firmam parceria para ajudar municípios no combate à covid-19 com recursos de multas

Famup e Tribunal do Trabalho firmam parceria para ajudar municípios no combate à covid-19 com recursos de multas

Próximo a enfrentarmos uma terceira onda da pandemia causada pelo coronavírus, a Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) sai na frente e busca mais uma vez firmar parceria com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 13ª Região para ajudar municípios do Brejo paraibano. A Famup, por meio do presidente George Coelho, solicitou […]

Portal Correio

Próximo a enfrentarmos uma terceira onda da pandemia causada pelo coronavírus, a Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) sai na frente e busca mais uma vez firmar parceria com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 13ª Região para ajudar municípios do Brejo paraibano.

A Famup, por meio do presidente George Coelho, solicitou que o Tribunal reverta multas em prol dos municípios de Areia, Bananeiras, Borborema, Caldas Brandão, Cuitegi, Gurinhém, Lagoa de Dentro, Mari, Pilões, Pilõezinhos, Riachão, Serra da Raiz, Serraria e Solânea, feito através de conversões de multas. A Federação, que reafirma seu compromisso com os municípios e com a população, tenta agora com outras varas de trabalho conseguir o mesmo apoio para cidades de todo o estado.
 
Para receber a ajuda, os gestores de cada município devem informar à Famup, através de ofício a ser enviado para o endereço de e-mail paulofagner@famup.com.br, os quantitativos que o município necessita receber de: Lençol hospitalar em tecido 100% algodão na cor branca; lençol com elástico em tecido misto para maca; fronha branca para travesseiro; máscaras em tecido duplo para maior proteção; máscaras em tecido simples, todas reutilizáveis; avental hospitalar em TNT descartáveis; capote hospitalar em TNT; e capuz hospitalar em TNT.
 
A Famup alerta que algumas orientações são essenciais para os gestores no momento do dimensionamento dos quantitativos. De acordo com o presidente George Coelho, é importante que os gestores façam o cálculo do quantitativo tomando por referencia os trabalhadores da saúde no seu município, numero de leitos, estimativa dos pacientes que serão atendidos ao longo de no mínimo seis meses. 
 
“Faremos o possível para que os quantitativos solicitados individualmente possam ser atendidos, mas aproveitamos a oportunidade para deixar evidenciado que a prerrogativa para definir os números finais cabe ao ilustre Juiz do Trabalho da 13ª Região da Vara de Guarabira. Pedimos ainda que os gestores respondam a Famup com a maior brevidade possível, para que possamos acalentar os ânimos dos municípios na busca por saídas no enfrentamento da pandemia”, disse George Coelho.

Últimas