Folha Vitória 3 em cada 10 brasileiros têm algum tipo de alergia. Veja como evitar complicações

3 em cada 10 brasileiros têm algum tipo de alergia. Veja como evitar complicações

Em casos como os de anafilaxias, que são reações alérgicas graves, o que parece uma simples alergia pode ser fatal

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Dia Mundial da Alergia é comemorado dia 08 de julho, a data, foi definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para alertar as pessoas sobre a importância de aumentar a conscientização sobre doenças alérgicas, seu diagnóstico, prevenção e melhor tratamento. 

De acordo com a OMS, falar sobre o assunto é de extrema importância, já que em casos como os de anafilaxias,  que são reações alérgicas graves, o que parece uma simples alergia pode ser fatal. 

A alergista, Karla Delevedove, explicou que geralmente esse tipo grave de alergia é provocada por alimentos, picadas de insetos, medicamentos, látex, entre outros fatores. 

“As anafilaxias são altamente perigosas, pois podem resultar em morte por sufocação causada pelo edema de glote, o fechamento dos brônquios e/ ou infarto do miocárdio”, alertou a médica.

Segundo a nutricionista Laís Coutinho, alguns alimentos são bastante alergênicos e podem provocar essas reações mais sérias. A lista é extensa, são 160 alimentos, porém os que afetam a maior parte da população são: o leite, ovos, frutos do mar, oleaginosas, amendoim, trigo e a soja.

A alergista disse que a alergia alimentar geralmente é o resultado de uma reação imunológica do organismo a algumas proteínas encontradas nos alimentos. Ela pode se manifestar de várias maneiras, desde sintomas leves, como vermelhidão e coceira no corpo até reações graves, como as anafilaxias e até o choque anafilático.

Alergia alimentar se manifesta nos primeiros anos de vida

De acordo com Karla, a alergia alimentar geralmente se manifesta nos primeiros anos de vida. Sua evolução dependerá dos tipos de alimentos e da reação que eles causam. Mas também é possível adquirir alergia alimentar no decorrer da vida.

O otorrinolaringologista, Márcio César da Silva disse que no inverno, é comum muita gente descobrir sensibilidade e até alergia a medicamentos, principalmente os antibióticos e medicamentos para dor.

“Nesta época fica mais comum o aparecimento das infecções de vias aéreas como sinusites, bronquites, amigdalites, etc.., e quando essas doenças são identificadas muitas vezes o tratamento é feito com antibióticos como Amoxicillina e Azitromicina, além de analgésicos e anti-inflamatórios que são medicamentos que podem manifestar reações alérgicas em algumas pessoas”, alertou ele.

A alergista explicou que o princípio é o mesmo que acontece com os alimentos. No caso dos remédios também ocorre por uma reação do sistema imunológico, agora contra substâncias do medicamento. 

"A primeira vez que o paciente toma o remédio, um anticorpo específico é acionado, a partir da segunda exposição haverá uma manifestação clínica que poderá ser leve ou mais grave", disse Karla Delevedove.

Nesses casos mais graves, segundo a especialista, o que salva a vida do indivíduo é a aplicação intramuscular da adrenalina. "Por isso, todos pacientes com histórico de anafilaxia devem ter essa medicação em mãos com facilidade. É muito importante saber reconhecer prontamente os primeiros sintomas da anafilaxia, pois o tratamento rápido é fundamental”, orientou.

Karla explicou que não há como prevenir alergias, mas existem maneiras de evitar que os sintomas apareçam. A melhor maneira é ficar longe dos alérgenos que os desencadeiam.

Choque anafilático X Anafilaxia

A Alergista, Karla Delevedove disse que o choque anafilático é diferente da anafilaxia. “O choque é o quadro mais grave da anafilaxia, com alta mortalidade, onde ocorre uma falência da circulação do sangue, que não consegue chegar até os órgãos periféricos por causa da queda da pressão arterial e alterações da microcirculação”, disse.

Últimas