4ª Subseção da OAB-ES organiza o primeiro encontro sobre direitos e garantias dos idosos em Guarapari

O encontro foi promovida pela 4ª Subseção da OAB-ES em parceria com o Clube da Amizade

Foto: Hamilton Garcia
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O primeiro encontro sobre os direitos e garantias dos idosos em Guarapari, organizado pelo 4ª Subseção da OAB-ES em parceria com o Clube da Amizade, aconteceu na última quinta-feira (26) no auditório do Siribeira Iate Clube. O evento contou com a palestra da advogada especializada em práticas colaborativas e membra da Comissão de Direito da Família e Sucessões da OAB de Vitória, Dra. Sândala Almonfrey e a presença da Dra. Elizabeth Haddad, defensora pública aposentada e membra do Clube da Amizade.

De acordo com a Dra. Mônica Goulart, presidente da 4ª Subseção da OAB/ES, o encontro foi importante para tratar de um assunto muitas vezes esquecido pela sociedade e pelo poder público. “Temos conhecimento que existem políticas públicas voltadas para os direitos e garantias dos idosos, contudo o sistema ainda é falho e não acessível o que inviabiliza a concretização destes direitos. E a 4ª Subseçao da OAB/ES sensível ao tema constituiu no início da gestão a Comissão de Direto das Famílias e Sucessões, que tem como uma das finalidades debater o tema com a sociedade e o poder público. Não podemos deixar que aqueles que foram o início de tudo ficarem desamparados nesta fase de suas vidas”.

Sobre o início da militância na área, a palestrante Dra. Sândala contou que aconteceu após observar a necessidade das pessoas da terceira idade, que estão em instituições a um longo tempo, de conseguirem mais apoio e carinho. “Trabalhamos com essa possibilidade dos idosos terem um retorno e para isso analisamos uma possível adoção desses idosos pelos mais jovens. Já temos dois casos de pessoas mais novas que querem adotar no Brasil”, relatou.

Foto: Hamilton Garcia
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Da esquerda para a direita, Dra. Sândala Almonfrey e Dra. Elizabeth Haddad. 

Não queremos que esses idosos cheguem à depressão, continuou a advogada. “Eles precisam de dignidade, companheirismo, afeto e amor, não de isolamento”, reforçou a palestrante que fez questão de chamar atenção para as presenças da mãe e da avó no encontro e de agradecê-las por serem base e referência de caráter e personalidade que hoje possui.

“Mesmo que eu não tivesse condições financeiras de cuidar das duas, não teria coragem de abandoná-las. Procuraria meios, como prefeitura e assistência social municipal, por exemplo. Não colocaria em uma instituição e não voltaria mais”.

Também presente no evento, a sempre atuante Dra. Elizabeth Haddad acredita que essa discussão é séria e necessária. “É um momento importantíssimo a abertura dessa porta pela OAB para debater a respeito dos direitos dos idosos, porque além deles serem esquecidos pela sociedade também tem um desampara natural da legislação. E essa conversa vem para pedir que a sociedade vigie os direitos das pessoas da terceira idade para que possam ter saúde, educação e uma vida social dignas. Por isso apoiamos e abraçamos a causa”, enfatizou.