Folha Vitória "A única saída era a janela", diz grávida que pulou de prédio para fugir de incêndio

"A única saída era a janela", diz grávida que pulou de prédio para fugir de incêndio

O fogo consumiu todos os pertences que jovem tinha em casa

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A jovem Sandrielle da Silva Ramos, de 24 anos, ficou com diversos hematomas pelo corpo após pular de uma altura de cerca de quatro metros para se salvar de um incêndio. A mulher, que está no terceiro meses de gestação, ainda sente fortes dores nas pernas e no quadril. 

Segundo testemunhas, o fogo começou, por volta das 19 horas desta terça-feira (29), no segundo andar do prédio em que a jovem mora, no bairro Maria Ortiz, em Vitória. Sandrielle estava dormindo quando a filha, de 4 anos, avisou que a casa estava pegando fogo. "Eu tentei sair pela cozinha, mas o fogo estava muito alto. A única saída era a janela. Comecei a gritar por socorro. Alguns vizinhos falaram para não pular, que eles iam tentar me tirar de lá", disse. 

Como o fogo estava avançando, a mulher resolveu pular para o parapeito do prédio. "Eu pulei e coloquei a minha filha em uma parte mais segura. Quando eu fui me ajeitar, pisei em falso na telha, ela quebrou e eu cai", relatou.

Passado o susto, Sandrielle contou sobre a preocupação em saber como está o estado de saúde do bebê que espera. "Eu sei que estou bem, mas não sei se aconteceu alguma coisa com o bebê", afirmou. 

O apartamento em que mora é pequeno, tem apenas a cozinha, a sala e um quarto. Sandriellle alugou o espaço há cerca de dois meses. A jovem perdeu todos os pertences que tinha em casa. 

Na manhã desta quarta-feira (30), a Defesa Civil de Vitória foi até o prédio e realizou uma avaliação da estrutura do imóvel. Os engenheiros constataram que não há risco de desabamento, porém dois dos dez apartamentos do prédio vão ficar interditado até que sejam feitos reparos na estrutura. 

Sem ter como recuperar as perdas, Sandrielle pede ajudar. "Quem puder me ajudar. A única renda que eu tenho no momento é o auxílio. Não tenho nem como pagar o aluguel", lamentou. 

*Com informações do repórter Vitor Moreno, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas