Folha Vitória Academias de ginásticas perderam cerca de 52% dos clientes na pandemia

Academias de ginásticas perderam cerca de 52% dos clientes na pandemia

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae, junto com as micro e pequenas empresas, revelaram o tamanho do impacto da pandemia para o segmento

Folha Vitória
Foto: bemvistomkt/Pixabay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A crise do novo coronavírus vem perseguindo algumas atividades econômicas desde o início da pandemia do coronavírus. As academias capixabas sentiram esse impacto bem de perto ao notarem a redução da clientela.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae, junto com as micro e pequenas empresas, revelaram o tamanho do impacto da pandemia para o segmento. A pesquisa é nacional, mas reflete muito bem a realidade vivida aqui no Espírito Santo.

Segundo o empresário e presidente da Associação de Academias do Espírito Santo (Acages), Carlos Andrião, a pandemia fez com que o número de funcionários e clientes caísse. “Se você reduz o número de atendimento, infelizmente você também tem que reduzir o quadro de funcionários. Hoje temos menos de 50% dos funcionários”, disse.

Em maio deste ano, as academias de ginástica do Brasil estavam com redução de 52% de usuários. Além das academias, setores como logísticas, transporte, turístico e setor de beleza também tiveram sua redução.

Reverter a crise

Para tentar reverter a crise, empresários criaram uma acreditação para as academias que usam boas práticas de segurança contra a covid-19. Esse método, teve início nos últimos dias em parceria com o Sebrae. Para a identificação da acreditação, foi emitido um selo de qualidade para cerca de 100 estabelecimentos. Entre os critérios para aderir o adesivo, estão o distanciamento social, a oferta de álcool 70% e circulação de ar no ambiente.

“Fazemos uma análise e verificamos o que aquela academia está fazendo de boas práticas e o que pode melhorar. Além disso, é emitido um relatório para que ele possa ser feito adequações caso não esteja tudo 100%", explicou Pedro Viana, analista do Sebrae.

O presidente da Acages mantém o otimismo e acredita que com o passar do tempo novos clientes vão chegar com objetivo de manter a saúde em dia. "Conforme a gente vai trabalhando, informando, ajudando e também apresentando que nosso espaço tem condição de ajudar, a gente consegue retornar aos poucos e ter um número maior de frequentadores", avaliou.

*Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV.

Últimas