Folha Vitória Adolescente assassinada em Cariacica sonhava em ser policial

Adolescente assassinada em Cariacica sonhava em ser policial

As metas e sonhos da jovem foram interrompidos no último sábado (24), quando foi assassinada com um tiro na cabeça

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma jovem meiga, calma e serena. Ela era querida por todos! Raissa Souza da Silva, de 15 anos, será lembrada dessa forma pelos amigos e familiares. A jovem gostava de dançar, fotografar e, segundo a família, sonhava em ser policial.

Com carinho e saudade, a avó lembra da neta que foi assassinada no sábado (24), no bairro Vila Prudêncio, em Cariacica. 

"Era uma menina calma, tranquila e meiga. Era uma ótima pessoa e tinha muitos amigos. Ela sonhava em ser policial, mas não viveu quase nada. Aos 13 anos se envolveu com esse homem e agora, aos 15, morreu", lamentou a avó. 

Raissa já tinha dois cursos profissionalizantes, um de fotografia e outro de unhas em gel. As metas profissionais e sonhos da jovem foram interrompidos. A garota foi morta com um tiro na cabeça dentro da casa do tio.

De acordo com a família, o principal suspeito do crime é o ex-namorado de Raissa. A avó contou que ele já havia agredido a neta em outra situação. "Teve uma vez que nós ficamos sabendo pela irmã dela que ele bateu nela na rua. Ela correu e se escondeu na casa da irmã", relembrou. 

Em um vídeo divulgado pela família, o rapaz aparece intimidando a adolescente. Em mensagens de voz encontradas no celular de Raissa, o suspeito diz que só não tinha cometido um crime ainda em consideração à mãe da jovem. 

"Você dá sorte que eu amo sua mãe como se fosse a minha mãe e ela nunca fez nada comigo. Pode sumir o tempo que for, parceira. Mas uma coisa eu vou falar pra você: uma hora eu te acho", diz ele.

LEIA TAMBÉM: VÍDEO | Adolescente de 15 anos assassinada em Cariacica recebia diversas ameaças do ex: 'uma hora eu te acho'

A Secretaria Estadual de Justiça informou, por meio de nota, que o rapaz tem duas passagens pelo sistema prisional. Uma, em 2017, por furto e a outra, em 2018, por homicídio qualificado. A Polícia Civil não confirmou se o ex-namorado de Raissa é o autor do crime e disse apenas que nenhum suspeito foi detido até o momento. 

Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública apontam que de janeiro a março de 2021, 22 mulheres foram mortas no Espírito Santo. Desse número, 15 casos são considerados homicídios e sete como feminicídios.

No início do mês, Katia Matos de 49 anos foi morta em Jardim da Penha, em Vitória. De acordo com as investigações, a mulher foi assassinada pelo companheiro, o cabo da Polícia Militar, Márcio Borges Ferreira.

Em outra ocorrência, a doméstica Irlaine Vilma Dias Casé foi executada no bairro Itaparica, em Vila Velha. A vítima foi surpreendida pelo atirador quando passeava com o cachorro. Um motorista de aplicativo que entrava em um motel para buscar um casal ouviu os disparos e, logo em seguida, Irlaine apareceu ferida pedindo por ajuda. 

*Com informações do repórter Waslley Leite, da TV Vitória/RecordTV. 

Últimas