Folha Vitória Adolescente de 13 anos é baleado na perna enquanto brincava na rua em Vila Velha

Adolescente de 13 anos é baleado na perna enquanto brincava na rua em Vila Velha

A mãe do adolescente se queixou do não atendimento por parte dos policiais e da demora na chegada da ambulância

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um momento que deveria ser de lazer e brincadeira, se transformou em pesadelo para um adolescente de 13 anos. Enquanto brincava na rua com um colega, o menino foi atingido por um disparo de arma de fogo no bairro 23 de Maio, em Vila Velha.

Segundo a mãe do adolescente, Maria Auxiliadora da Silva, tudo aconteceu por volta de 20h40 do último sábado (17). Ela contou que enquanto conversava com uma amiga, o filho estava no outro lado da rua brincando com um colega. 

De repente ela disse que viu uma mulher correndo e depois ouviu barulho de tiros que estariam vindo do outro lado de um valão do bairro. Pouco depois, ela percebeu que o filho foi atingido por um tiro.

"Naquele desespero e correria, meu filho disse que a perna dele estava sangrando. Aquilo foi um sofrimento e uma gritaria na rua. Nós entramos para casa, depois amarramos a perna dele para estancar o sangue porque estava sangrando muito", contou.

Maria disse também que a polícia passou logo após o filho ter sido baleado, mas segundo ela, os militares não ajudaram no socorro. Outro problema relatado pela manicure foi a demora na chegada da ambulância. O adolescente precisou ser socorrido por um morador do bairro.

"Chamamos uma viatura para ver se socorria ele e os policiais foram muito ignorantes. Nós pedimos para chamarem uma ambulância e eles disseram que não podiam. Pedimos para socorrer mas eles falavam que não podiam. Depois uma amiga minha ligou para a ambulância e eles fizeram um monte de pergunta, ou seja, se o tiro fosse em uma região fatal ele já teria morrido", disse a mãe do adolescente.

O menino passou por uma cirurgia para a retirada da bala e está se recuperando em casa.

Sobre o tempo de atendimento, o Samu informou que o chamado foi recebido às 20h59 de sábado e que uma ambulância foi encaminhada ao local às 21h12. Porém, o adolescente já havia sido socorrido.

A Polícia Militar disse que, pelo fato do ferimento não colocar em risco a vida do adolescente, a orientação foi que a família aguardasse o Samu enquanto os policiais se dedicavam a tentar localizar os atiradores.

* Com informações da repórter Polyana Martinelli, da TV Vitória/RecordTV

Últimas