Folha Vitória Advogadas sofrem assédio ao responderem sobre vaga de emprego em Cariacica

Advogadas sofrem assédio ao responderem sobre vaga de emprego em Cariacica

Após a primeira denúncia da advogada Rúbia Franco, outras vítimas também relataram ter sido abordadas e assediadas pelo mesmo homem

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Advogada Rúbia Franco foi vítima de assédio ao responder vaga de emprego

Uma oportunidade de emprego se transformou em pesadelo para um grupo de advogadas em Cariacica. No anúncio, constava a exigência de experiência e de conhecimentos específicos, mas na verdade, tudo não passava de um convite com segundas intenções.

Além do nome do escritório, a divulgação da vaga contava com exigências como experiência profissional de três anos e cadastro em sites específicos do meio jurídico. 

Apesar dos pedidos, a advogada Rúbia Franco afirma que tudo era uma enganação.

"Peguei o e-mail, mandei meu currículo e poucos minutos depois esse senhor entrou em contato comigo por telefone e já começou uma conversa muito íntima em um tom que não era muito profissional e eu achei estranho. Ele perguntava como eu era, o que eu gostava de fazer, se eu era comprometida, se tinha filhos e em uma parte da conversa ele perguntou se eu poderia viajar com ele a trabalho. Ele queria marcar um encontro para a gente conversar melhor. Ele também me disse que para diminuir custos ele costumava ficar no mesmo quarto que a advogada".

A profissional contou que na raiva e nervosismo não guardou a conversa com o suspeito de assediá-la. Ela afirmou que não conseguia nem olhar mais para o nome dele no celular, por isso bloqueou o número e deletou toda a conversa.

Mesmo assim, Rúbia resolveu denunciar. Ela foi incentivada por familiares e outras colegas advogadas. A profissional procurou a comissão ligada as mulheres da OAB de Cariacica para relatar a situação.

"Tomei a decisão, mesmo após um ano do ocorrido, e comecei a fazer a denúncia para que outras mulheres não fossem assediadas como eu fui".

Depois da denúncia, várias outras advogadas enviaram mensagens relatando que também foram procuradas pelo mesmo homem.

Uma das vítimas disse que foi procurada pelo suspeito em 2019. Ela contou que ele também tentou se encontrar com ela e que outras colegas já tinham sido abordadas pelo mesmo rapaz.

Comissão da Mulher Advogada de Cariacica

De acordo com a presidente da Comissão da Mulher Advogada de Cariacica, Edilamara Rangel, essas denúncias relatadas estão sendo acompanhadas pela comissão.

"Até o momento nós recebemos o relato de sete mulheres, mas eu acredito que outras advogadas foram abordadas".

A equipe de jornalismo da TV Vitória entrou em contato com o escritório que o suposto contratador disse trabalhar. Mas por telefone, a empresa negou conhecer o homem.

A presidente da comissão ressaltou a importância da denúncia desses tipos de caso. Ela aponta que é por meio delas que as investigações podem avançar.

"Se você for abordada, peço a você que apresente sua denúncia e fale conosco. É muito importante que tenhamos vários relatos para a gente conseguir realmente acabar com esse tipo de comportamento e que ele seja punido. Nós mulheres não somos vulneráveis, somos profissionais capacitadas e queremos que tenha um fim desse tipo de violência contra a mulher".

Como denunciar?

As denúncias podem ser feitas para a OAB de Cariacica por meio do telefone: 3216-8761, pelo perfil no Instagram: @cma.oabes11 ou pelo e-mail mulher.cariacica@gmail.com.

O nome do suspeito de assediar as vítimas e do escritório onde supostamente as vagas estariam sendo oferecidas não serão divulgados porque o caso ainda segue sob investigação.

* Com informações do repórter Douglas Camargo, da TV Vitória/RecordTV

Últimas