Advogado aponta irregularidades em perseguição de casal realizada pela Guarda Municipal da Serra

A mulher foi baleada e o homem passou oito dias presos acusado de disparar contra agentes da Guarda Municipal

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O casal que foi perseguido por agentes da Guarda Municipal da Serra, no último dia 26 de agosto, conversou com exclusividade com a reportagem da TV Vitória/ Record TV. Segundo o advogado do casal, o caso tem uma série de irregularidades.

No dia do ocorrido, o carro dos noivos estava estacionado em um beco do bairro São Diogo, na Serra. "Eu estava com minha noiva. O veículo é escuro e era um beco apertado. Quando estávamos saindo de lá, vimos um carro se aproximando com farol alto", contou. 

Segundo o casal, a equipe da Guarda Municipal apareceu com o giroflex apagado e, por isso, teria acreditado que se tratava de um assalto. "O veículo não tinha identificação. Desceram homens armados gritando 'perdeu, perdeu'. No momento que acelerei o carro, começaram disparos", revelou o homem. 

O condutor do veículo tentou fugir e iniciou uma perseguição, que só teve fim no bairro Novo Horizonte. O casal acredita que a abordagem foi inadequada. A mulher acabou baleada no ombro. "O meu braço ficou dormente e começou a sangrar. Aí ele falou que ia me levar para um hospital. Quando passamos por um lugar claro, vi que era a polícia e aí ele parou o carro. Eu não consegui descer do veículo. Eles me puxaram e me jogaram no chão com o braço para trás", disse a mulher. 

O homem passou oito dias preso acusado de tentativa de homicídio qualificada contra agentes de segurança pública no exercício da função. "Eu fui preso, passei a noite no DPJ e na quinta-feira de manhã fui levado para o Centro de Triagem de Viana", explicou. 

O homem está em liberdade graças a um habeas corpus. De acordo com o advogado David Cândido, são várias as irregularidades neste caso. "Primeiro que ele nunca manuseou armamento de fogo, não atropelou nenhum guarda, nas imagens dá pra ver que a guarda sempre está atrás com farol alto, que é um procedimento errado, com sinal luminoso e sonoro desligado", afirmou. 

O casal agora está com medo de sair de casa e espera por justiça. "Espero que os culpados sejam punidos". Por nota, a Prefeitura da Serra informou que o caso segue em investigação pela Polícia Civil e acompanhado pela Corregedoria da Guarda Civil Municipal.

A Polícia Civil informou que as armas dos envolvidos foram apreendidas e serão encaminhadas para o setor do Departamento de Criminalística de Balística. Em relação à mulher baleada, o fato está sendo investigado por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM). Para que a apuração seja preservada, nenhuma outra informação será repassada.

Entenda o caso

De acordo com a Guarda Municipal, agentes faziam um patrulhamento na noite do dia 26 de agosto quando teriam sido abordados por um homem que informou que um carro estava parado em um beco com atitudes suspeitas. Ao tentar abordar o veículo, o condutor avançou com o carro.

Na ocasião, a Guarda informou que o homem havia jogado o carro para cima dos agentes. Durante a perseguição, a Guarda teria atirado contra o veículo. O carro do casal foi alcançado momento depois. Segundo a Guarda, havia uma arma no veículo que foi apreendida. A mulher nega que ela e o noivo estavam com uma arma no carro. 

Veja imagens do início da perseguição:

*Com informações do repórter Douglas Camargo, da TV Vitória/ Record TV.