Folha Vitória Advogado entrega à polícia arma que médico apontou para vendedor em shopping

Advogado entrega à polícia arma que médico apontou para vendedor em shopping

Segundo Luciano Azevedo, responsável pela defesa de Bernardo Santos Carmo, a arma utilizada pelo psiquiatra é, na verdade, uma pistola de pressão

Folha Vitória
Foto: reprodução da Polícia Civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A arma apontada pelo médico psiquiatra Bernardo Santos Carmo a um funcionário da loja da rede Kalunga, no Shopping Vitória, na Enseada do Suá, foi entregue à polícia na manhã desta sexta-feira (25). 

O advogado do médico, Luciano Azevedo, confirmou que esteve pessoalmente no 3° Distrito de Polícia de Vitória, na Praia do Canto, e apresentou o objeto à polícia, conforme havia anunciado. Segundo ele, a arma utilizada por Bernardo é, na verdade, uma pistola de pressão, modelo Airsoft.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que um simulacro de pistola foi entregue na manhã desta sexta-feira no 3° Distrito de Polícia de Vitória, por meio do advogado do investigado. 

De acordo com a PCES, a alegação do investigado é que o objeto foi utilizado no dia dos fatos. Ainda segundo a polícia, até o momento, não foi constatada nenhuma irregularidade.

O caso aconteceu no último dia 8. Segundo testemunhas, Bernardo passeava pelo corredor do shopping sem máscara, quando entrou na loja de papelaria e produtos eletrônicos.

Em seguida, ele foi abordado pelo atendente, que pediu que o médico colocasse o protetor facial dentro do estabelecimento. Bernardo, no entanto, teria se recusado a colocar o equipamento de proteção.

Luciano Azevedo alegou que o psiquiatra apontou a arma falsa para o atendente porque o rapaz teria zombado do médico e o provocado.

Bernardo prestou depoimento na delegacia da Praia do Canto, na tarde da última quarta-feira (23). Ele foi ao local acompanhado de dois advogados.

Últimas