Folha Vitória Ambulantes ocupam calçadas e vendem até cachorros em avenida de Laranjeiras

Ambulantes ocupam calçadas e vendem até cachorros em avenida de Laranjeiras

De acordo com os lojistas da região, os ambulantes chegam a ocupar mais de 80 vagas de estacionamento e prejudicam o comércio local

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Ambulantes ocupam vagas de estacionamento e também impedem passagem de pedestres

Um problema antigo e alvo de denúncias por parte de comerciantes: a presença de ambulantes na Avenida Central de Laranjeiras, na Serra. Em um registro feito no último sábado (11), os comerciantes flagraram até filhotes de cachorros sendo vendidos à céu aberto na região.

Entre as reclamações dos comerciantes, está o local em que os ambulantes ficam para venderem as mercadorias. Segundo os lojistas, eles ocupam mais de 80 vagas de estacionamento.

"Atrapalha por conta do estacionamento. Eu tenho uma loja que fica na rua de trás e acaba que os clientes das lojas que ficam na avenida precisam estacionar nas ruas mais distantes. (Os ambulantes) não pagam aluguel, mas nós pagamos caro. Acho injusto. Apesar das ações das forças de segurança, os ambulantes voltam do mesmo jeito", relata uma comerciante, que não quis ser identificada, e que tem comércio no local há sete anos.

Além da falta de estacionamento, a presença dos ambulantes nas calçadas prejudica a passagem dos pedestres, principalmente idosos e deficientes. 

"A Polícia Militar e a Guarda Municipal têm dificuldade de visualizar o interior das lojas e ver os suspeitos que transitam pelo local. O comércio é prejudicado por não conseguir expor sua vitrine, muitos clientes deixam de frequentar o bairro pois não encontram local para estacionar e tem dificuldade de andar pelas calçadas da avenida principal", afirma outro comerciante, que também não quis se identificar.

O que diz a Prefeitura?

Em entrevista ao jornal online Folha Vitória, o diretor de Fiscalização, Obras e Posturas da Serra, Welingtom Freitas, garantiu que a situação já foi detectada e uma solução deve ser definida até o fim do ano. 

"Detectamos esta situação desde janeiro. A gestão passada ofereceu uma estrutura muito quente para que os ambulantes pudessem ficar e eles não ficaram. Já fizemos levantamento de toda a região. Realizamos duas reuniões internas e com o grupo de ambulantes do local. Deixamos eles cientes de que vamos adotar alguma medida", informou.

Freitas também confirmou que nenhum ambulante possui autorização para comercializar mercadorias no local. 

"Nenhum deles tem autorização. Vamos tentar arrumar uma solução para eles. Tem o lado social, mas também precisamos apresentar uma solução", disse.

Por meio de nota, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do município disse que já fez um cadastramento dos ambulantes e estuda um melhor local para que a realocação seja feita. 

"Até o final do ano uma solução definitiva será implantada. As fiscalizações são constantes e quando irregularidades são constatadas, a prefeitura orienta e multa os irregulares", acrescenta a nota.

Últimas