Folha Vitória Após denuncia da árbitra assistente, polícia abre investigação contra ex-técnico da Desportiva

Após denuncia da árbitra assistente, polícia abre investigação contra ex-técnico da Desportiva

A Polícia Civil informou que o caso está sendo apurado pela Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo), de Nova Venécia

Foto: Reprodução/YouTube TVE
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O caso de agressão do treinador Rafael Soriano na árbitra assistente, Marcielly Netto, já está sob investigação policial. Após a auxiliar registrar um boletim de ocorrência contra o ex-técnico da Desportiva, a polícia iniciou a apuração dos fatos.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que Marcielly esteve em uma Delegacia nesta segunda-feira (11), um dia após a partida em que sofreu a agressão, representou criminalmente contra Soriano.

Além disso, a Polícia também declarou que a árbitra assistente realizou exame de corpo de delito no Serviço Médico Legal (SML) de Colatina. O caso está sob investigação da Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo), de Nova Venécia, município que recebeu o jogo da agressão.

A assessoria de imprensa da Polícia ainda informou que não serão divulgados mais detalhes da investigação por enquanto.

Confira a nota na íntegra.

"A Polícia Civil informa que a vítima esteve em uma Delegacia de Polícia nesta segunda-feira (11) e representou criminalmente contra o ex-técnico. A vítima esteve no Serviço Médico Legal (SML) de Colatina, onde realizou o exame de corpo de delito. Como o fato aconteceu no município de Nova Venécia, o caso segue sob investigação na Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo), de Nova Venécia. Detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto."

Entenda o caso

No último domingo (10), no intervalo da partida entre Nova Venécia e Desportiva pelas quartas de finais do Capixabão, membros da comissão técnica e alguns atletas do banco da Desportiva invadiram o campo para reclamar com a arbitragem.

Bem exaltado, o treinador Rafael Soriano reclamou com o árbitro principal da partida, Arthur Gomes Rabelo, e com a assistente, quando começaram a discutir. Após o bate-boca, Soriano deu uma cabeçada uma em Marcielly. O treinador foi expulso após a agressão.

Em entrevista a TV Educativa, do Governo do ES, que transmitia a partida, Soriano negou a agressão e afirmou que iria na delegacia com a assistente para comprovar a sua inocência.

"Se você disser que eu te agredi, a gente vai para a delegacia. A gente vai fazer corpo de delito. Se não, eu vou te processar, vou te processar. Ela está dizendo que eu agredi. Mentira. Está se usando porque é mulher. Está querendo aproveitar de uma situação porque é mulher. Ela empurrou os jogadores e agora ela quer dizer que foi agredida", declarou.

A Federação de Futebol do Espírito Santo (FES) repudiou a atitude do técnico contra Marcielly. Após o caso e a eliminação da Desportiva do Campeonato Capixaba 2022, o treinador foi demitido do cargo.

Na noite de domingo, após o jogo, o Tribunal de Justiça Desportiva do Espírito Santo (TJD-ES) suspendeu Rafael Soriano preventivamente por 30 dias pela agressão. Caso seja punido em todas as instâncias, Soriano pode pegar um gancho de no mínimo 180 dias.

O caso ganhou repercussão nacional e até internacional. Na manhã de segunda-feira (11), várias federações, clubes capixabas e nacionais, como Flamengo e Santos, prestaram solidariedade a vítima. Na súmula da partida, divulgada pela Federação de Futebol do Espírito Santo (FES), o árbitro Arthur Gomes Rabelo relatou a agressão à assistente e informou que foi registrado o boletim de ocorrência.

Últimas