Folha Vitória Assassinato de médica: Irmão acredita que Hilário tentou fazer sexo à força com Milena

Assassinato de médica: Irmão acredita que Hilário tentou fazer sexo à força com Milena

O quarto dia do julgamento do caso Milena Gottardi começou com as declarações do irmão da médica, Douglas Gottardi. Seis réus estão sendo julgados pela morte da médica em 2017

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O irmão de Milena Gottardi, Douglas Gottardi, é o primeiro a prestar depoimento nesta quinta-feira (26), quarto dia do julgamento do caso. Ele acredita que, em uma ocasião, o ex-policial civil e ex-marido da médica Hilário Frasson tentou fazer sexo sem o consentimento da irmã.

Douglas pediu para que os réus no julgamento não estivessem presentes durante o depoimento e foi atendido. A mãe de Milena, dona Zilca Gottardi acompanhou o depoimento do filho.

O irmão da médica começou contando como Hilário e Milena se conheceram. Ela tinha cerca de 14 anos e ele era cinco anos mais velho. O relacionamento foi curto e eles logo se separaram.

Depois disso, Milena começou a namorar um outro rapaz. Segundo Douglas, Hilário não desistiu de Milena e chegava a perseguir o então namorado da vítima na estrada, na tentativa de amedrontar. Desde esta época, Hilário já tinha um comportamento possessivo, segundo o irmão da vítima.

Douglas relatou, ainda, que Hilário sempre teve um temperamento muito instável e sempre falava que só conseguiu namorar com Milena porque foi insistente. O relacionamento, no entanto, foi conturbado e marcado por muitas brigas. O pai da médica, desde o início, demonstrava muita preocupação.

O irmão da vítima também afirmou que era nítido que existiu dois momentos do Hilário, antes e depois do casamento. Antes, ele era carinhoso e gentil com os pais de Milena, dormia no chão e sempre disposto a comer qualquer coisa. Depois, ele teve outro temperamento, quando eles se mudaram para Vitória. Não gostava do comportamento de dona Zilca e reclamava de tudo que ela fazia.

De acordo com Douglas, o contato que ele mantinha com Hilário era apenas em reuniões familiares, esporadicamente. 

Hilário relatava histórias de violência na família

Em depoimento, Douglas relatou que Hilário sempre contava que a tia dele foi morta pelo tio, pois teria descoberto uma suposta traição. O pai, Esperidião Frasson, e o tio teriam matado a tia e o amante.

O processo desse caso corria no Fórum de Ibiraçu e Hilário sempre ia ao local para ver como estava o processo e tentar atrasar. Ele dizia que esperava que o pai completasse 70 anos para ficar livre.

Segundo Douglas, Hilário ainda contava para todos de como pai sempre foi agressivo. Ele teria relatado diversas histórias de quando era pequeno e, por várias vezes, ele, a mãe e a irmã fugiam para o mato quando o pai chegava bêbado e agressivo em casa.

Um dos motivos de discussão entre o casal seria os castos excessivos e elevados de Hilário. Na época em que Milena fez uma especialização em São Paulo, eles teriam combinado que o então marido seria responsável pelos gastos no Espírito Santo, sem se preocupar com ela.

Gastos altos eram motivos para brigas

Para ajudar nas despesas em São Paulo, Milena teria pedido um empréstimo ao então sogro, Esperidião, no valor de R$ 20 mil. O valor teria sido pago pela médica quando ela retornou ao Espírito Santo.

Segundo Douglas, sempre que havia uma briga, Hilário reunia amigos e familiares para tentar limpar a barra com Milena. Em uma ocasião, ele recebeu telefonema do então cunhado pedindo para ele ir até a casa do casal, pois Milena teria dito que iria se separar.

No local, Milena estava irredutível e ele ficou nervoso, dizendo para que ela saísse, mas que as filhas ficariam com ele. Por fim, Douglas foi embora e, no dia seguinte, por telefone, a irmã disse que estava decidida na separação.

Hilário marcou uma nova reunião em família, chamando Douglas e a esposa. Foi quando Milena falou que não queria mais nada, porque tinha "nojo de Hilário". Devido à declaração da irmã, Douglas acredita que quando deixaram o apartamento, na noite anterior, Hilário teria tentado fazer sexo forçado com ela.

Douglas estava na Espanha na época do crime

O irmão de Milena relatou que em setembro de 2017, época do crime, ele estava na Espanha, acompanhando a esposa que realizava um curso. Quando ele acordou na manhã seguinte, viu várias ligações e mensagens no celular dizendo que Milena tinha sido baleada.

Ao receber a notícia, Douglas contou que ficou desesperado e enviou uma mensagem de texto para Hilário, dizendo que esperava que não tivesse sido ele. Como resposta, o réu teria respondido: "não pensa isso de mim, irmão".

Julgamento pode ser um dos mais extensos

Antes do início do julgamento, o movimento era tranquilo na entrada do Fórum Criminal de Vitória. Os réus chegaram por volta das 8h30 e não houve presença de familiares antes da sessão.

De acordo com o advogado Rodrigo Bandeira de Melo, que defende Hilário Frasson, a expectativa é que o depoimento de Douglas seja tão extenso quanto o do delegado Janderson Lube, que durou 11h40.

Foto: Iures Wagmaker/Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Segundo o advogado, caso o depoimento termine mais cedo, as primeiras testemunhas de defesa devem começar a ser ouvidas ainda nesta quinta-feira.

"É uma testemunha muito importante e que devemos ter especial responsabilidade e sensibilidade. Ele é irmão e, certamente, está sentindo muito ainda pela tragédia que aconteceu. Com muito respeito, pretendemos questionar alguns pontos. O depoimento dele deve ser muito extenso, assim como foi ontem. Talvez não tão longo", disse.

Últimas