Folha Vitória Astrazeneca: mais de 50 mil doses chegam ao ES para vacinação de professores e policiais

Astrazeneca: mais de 50 mil doses chegam ao ES para vacinação de professores e policiais

Remessa também será usada para imunizar pessoas com comorbidades, com exceção das gestantes, que serão vacinadas com a Pfizer

Folha Vitória
Foto: sesa
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Além da nova remessa de vacinas da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, o Espírito Santo recebeu também, na madrugada desta sexta-feira (14), 52.250 doses da vacina Covishield (Oxford/Fiocruz), também conhecida como Astrazeneca. 

O Estado fará o envio de primeiras doses para dar continuidade à vacinação do grupo de forças de segurança e salvamento, trabalhadores da educação e grupo de comorbidades, com exceção das gestantes. 

Leia também: O que dizem os especialistas sobre suspensão da AstraZeneca em gestantes do ES

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) suspendeu, após recomendação da Anvisa, a vacinação em grávidas com a Astrazeneca em todas as cidades do Espírito Santo. Com isso, grávidas e puérperas com ou sem comorbidades passarão a receber doses da vacina Pfizer/BioNTech.

Segunda dose da Coronavac

Além da Astrazeneca, o Estado recebeu 65.200 doses da Coronavac nesta sexta-feira (14) - quantitativo maior do que o esperado pela Sesa - que deverá ser aplicado no grupo que aguarda a aplicação da segunda dose.

Na madrugada chegaram 43.800 doses. Já durante a manhã, por volta das 10h15, um novo voo trouxe mais 21.400 doses da vacina do Instituto Butantan. Na última semana, o Estado também recebeu 20 mil doses da vacina, somando um total de 85.200. Desta forma, o Estado fica perto de zerar a fila de espera pelo imunizantes, já que 87.749 mil pessoas, dos grupos de 70 a 74 anos, 65 a 69 anos e trabalhadores da saúde, aguardavam para concluir o esquema de vacinação

Vacinação de gestantes e puérperas
O Espírito Santo continuará a suspensão de vacinação às gestantes e puérperas com doses da Astrazeneca. A continuidade da vacinação ocorrerá de maneira regionalizada, com doses da vacina Pfizer/BioNTech.

Em relação ao cumprimento do esquema vacinal deste grupo que já foi vacinado com a D1 da Astrazeneca/Fiocruz, a Secretaria da Saúde aguarda orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e definições oficiais do Ministério da Saúde.

Como acontecerá a vacinação de gestantes e puérperas
Anteriormente destinadas à Vitória, as doses da Pfizer/ BioNTech passarão a atender o público de gestantes e puérperas capixabas.

Foram definidas 14 cidades para receber as doses: Aracruz, Cachoeiro De Itapemirim, Cariacica, Colatina, Guaçuí, Guarapari, Linhares, Santa Teresa, São Mateus, Serra, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Velha e Vitoria. A distribuição acontecerá ao longo desta sexta-feira (14). Em relação à Região Sul de Saúde, as doses serão encaminhadas primeiramente à Regional e, após levantamento do quantitativo do público, serão encaminhadas a Cachoeiro de Itapemirim e a Guaçuí.

A organização da vacinação do público será das gestões municipais, com articulação entre as cidades polos. A orientação, por parte da Secretaria da Saúde é que sejam feitas estratégias mistas, com a participação de equipes volantes nos demais territórios ou levando-as aos pontos de vacinação das cidades definidas.

Leia também: Espírito Santo terá cidades-polo para vacinação de grávidas com comorbidades

A logística de distribuição se deve às especificidades do imunizante, em especial ao seu armazenamento e manejo. Além disso, profissionais dos municípios selecionados participaram de capacitações com equipe estadual para aprendizagem das técnicas utilizadas para aplicação da Pfizer.

De acordo com orientações do Programa Nacional de Imunizações, as doses da Pfizer devem ser armazenadas: 1) no máximo cinco dias à temperatura de +2°C a +8°C; 2) até 14 dias à temperatura de -25°C à -15°C; ou 3) durante toda a validade (seis meses) em freezer de ultra baixa temperatura (-80°C à-60°C).

Últimas