Folha Vitória Bares e restaurantes de 5 cidades voltam a funcionar com restrições de horário na semana que vem

Bares e restaurantes de 5 cidades voltam a funcionar com restrições de horário na semana que vem

Segundo Casagrande, nesta nova etapa da pandemia, as medidas qualificadas para conter o contágio da doença no estado poderão ser alteradas a cada semana

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após a apresentação do novo Mapa de Risco, que começa a valer no Estado a partir da próxima segunda-feira (23), o governador Renato Casagrande anunciou novas restrições em algumas atividades sociais. De acordo com o governador, nesta nova etapa da pandemia, as medidas qualificadas para conter o contágio da doença no estado poderão ser alteradas a cada semana.

As principais mudanças acontecem em bares e restaurantes das cidades classificadas em Risco Moderado, que vão funcionar de segunda a sábado até as 22h e aos domingos até as 16 horas. Segundo Casagrande, o comércio, por enquanto não terá alterações, mas deverá manter os cuidados.

"A partir de agora, temos para o risco moderado, diversas atividades o que permitimos. O comércio tem um controle maior, uma loja tem um ambiente mais controlado, que o proprietário, junto com colaboradores, pode e deve controlar, usando máscara, mantendo distanciamento, higiene. Então ele é controlado e, nesta fase, não alteraremos as atividades do comércio no risco moderado", disse o governador.

"Neste momento, as limitações são pequenas. Estamos estabelecendo porque não é um ambiente que se manteve controlado. Há um sinal de que nós precisamos tomar mais cuidado, principalmente nos locais que temos que retirar máscaras, e em restaurantes e bares, é dessa forma que temos que proceder", explicou. 

O novo Mapa de Risco coloca Vitória em Risco Moderado, além de Cariacica, Viana, Barra de São Francisco e Ecoporanga. Confira:

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

"Com esse mapa e com aquilo que a gente discutiu essa semana, posso dizer que estamos em uma nova fase. Ainda não é uma outra onda, é a primeira que começou em março e ainda não acabou. Estamos vivendo uma nova fase dessa primeira onda. Tivemos nessa onda um crescimento em maio, junho, julho. Depois, começamos a ter a desaceleração. Estamos agora, a partir de outubro, novembro, a crescer novamente. Estamos crescendo, mas não é na mesma intensidade da primeira fase, mas mesmo não sendo, é bom que a gente identifique porque achamos que estamos na fase crescente", pontuou Casagrande.

Últimas