Folha Vitória Barragens no ES não correm risco de rompimento, mas precisam de reforço de segurança

Barragens no ES não correm risco de rompimento, mas precisam de reforço de segurança

A conclusão é de uma vistoria feita pela Agência Estadual de Recursos Hídricos do Estado em duas barragens de São Roque do Canaã e em uma em Cariacica

A conclusão é de uma vistoria feita pela Agência Estadual de Recursos Hídricos do Estado em duas barragens de São Roque do Canaã e em uma em Cariacica

Foto: Agerh ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Técnicos realizaram vistorias nas barragens de Duas Bocas (foto) e em duas em São Roque do Canaã

Uma vistoria realizada pela Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), em conjunto com o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), apontou que três barragens construídas no Estado precisam de reforço na segurança. No entanto, os laudos apontaram que não há risco imediado de rompimento dessas represas.

As represas visitadas pela equipe foram as de Duas Bocas, em Cariacica, e as de Santa Julia e Alto Santa Julia, em São Roque do Canaã, nos dias 29 e 30 de janeiro. Durante a vistoria, foram analisadas as ombreiras da barragem, os taludes de montante e de jusante, a crista, o reservatório, a instrumentação existente na barragem, o vale à jusante e eventuais comprometimentos.

"O que nós constatamos é que não há um risco imediato de rompimento. As estruturas estão preservadas, mas há a necessidade de algumas intervenções para reforçar e ampliar a segurança dessas barragens. Nós achamos prudente promover algumas intervenções estruturais. Então a Agerh está oficiando a Cesan que passe a assumir a operação desse reservatório. O governo do Estado está assumindo a governança desses reservatórios e o que a gente quer é organizar e estruturar toda a gestão disso aqui no Estado", frisou o diretor-presidente da Agerh, Fábio Ahnert.

Segundo a equipe que realizou a vistoria, a maior preocupação em Duas Bocas é o tempo da barragem: 70 anos. A represa é de responsabilidade da Cesan, que diz já estar seguindo o que foi determinado.

"Os técnicos que acompanharam e fizeram a vistoria entenderam que era importante aumentar ainda mais a segurança da barragem. Então nós faremos uma obra de reforço de estrutura. Essa obra é um pouco mais complexa e vai depender de orçamento, projeto e licitações", afirmou o diretor-presidente da Cesan, Carlos Aurélio Linhales.

Já as barragens de São Roque do Canaã ainda não foram entregues. Elas estão sob responsabilidade da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), que diz também já estar adotando as providências necessárias. Elas têm prazo de 90 dias.

Fiscalização

O Espírito Santo possui hoje 16 barragens, sendo sete já em operação e nove em fase de enchimento. A Agerh informou que fará vistorias mais detalhadas nas demais represas e que intensificará esse tipo de fiscalização nos próximos meses.

O subsecretário de Infraestrutura Rural da Seag, Rodrigo Vaccari dos Reis, afirmou que haverá um freio nas obras de construção de barragens no Estado para que seja elaborado um plano de segurança para o uso, com a participação das comunidades que vivem ao redor delas.

"Nós precisamos organizar a política de barragem. O que se fez foram muitas barragens. Houve um aceleramento nas construções de barragens e não houve uma preocupação na política de barragem - o que se fazer, qual o planejamento dessas barragens que foram construídas", afirmou.

Com informações do repórter Laércio Campos, da TV Vitória/Record TV


Situação das barragens fiscalizadas:

Duas Bocas (Cariacica)

Foto: Agerh ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Barragem de Duas Bocas, em Cariacica

Apesar de antigo, o reservatório localizado em Cariacica é protegido pela Mata Atlântica e está em bom estado de conservação. Conta com quatro piezômetros, medidores de nível d’água que são utilizados para controle da estabilidade do maciço da barragem. Contudo, foram solicitadas intervenções ao empreendedor da barragem para adequações e estudos que influenciam diretamente na segurança do reservatório.

Entre as ações imediatas recomendadas pela Agerh estão o controle de formigueiros; a manutenção e reforço na estrutura de concreto da barragem; a limpeza dos drenos, a fim de evitar acúmulo de água de chuva; o monitoramento das saídas de água; além da elaboração de um plano de segurança da barragem, com vistorias periódicas e interlocução direta com a comunidade.

A Cesan será a responsável pelas melhorias em Duas Bocas, pois faz a captação da água no local para abastecimento dos bairros do entorno.

São Roque do Canaã

Foto: Agerh ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Barragem de Santa Júlia, em São Roque do Canaã

Santa Julia e Alto Santa Julia são barragens de pequeno porte, localizadas no Córrego Santa Julia (bacia hidrográfica do Rio Santa Maria do Doce), no distrito de Agrovila, zona rural do município de São Roque do Canaã.

Os empreendimentos começaram a ser construídos pela Seag na gestão anterior. Segundo o governo do Estado, devido a problemas na fase construtiva, as barragens estão passando por adequações e ainda serão entregues à Prefeitura de São Roque do Canaã.

Em 2019, a Agerh esteve duas vezes nos reservatórios. A última inspeção de campo, realizada no dia 30 de janeiro, foi feita com a presença da Seag e dos engenheiros responsáveis pelas obras.

Foto: Agerh ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Barragem de Alto Santa Júlia, em São Roque do Canaã

Depois das inspeções locais, a Agerh constatou que não há perigo imediato na segurança das barragens de Santa Julia e Alto Santa Julia, mas ressaltou que os empreendimentos precisam ser monitorados.

Para garantir a segurança, as barragens devem receber melhorias, como plantio de grama sobre o solo das ombreiras, a fim de evitar processos erosivos e instalação de estruturas de acesso aos monges. Além disso, a Seag, em parceria com a Prefeitura de São Roque do Canaã, deve monitorar pontos sensíveis e elaborar o plano de segurança da barragem e abrir um canal de comunicação com os moradores próximos.