Folha Vitória Bebê de 9 meses morre no ES e pai é preso por suspeita de espancamento

Bebê de 9 meses morre no ES e pai é preso por suspeita de espancamento

O caso aconteceu no último domingo (15) no município de Água Doce do Norte. Pai da criança teria dado falsas declarações para a polícia

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um homem de 36 anos foi preso após a morte do filho, um bebê de 9 meses. Ele  foi levado sem vida para um posto de saúde da cidade de Água Doce do Norte, região Noroeste do Espírito Santo. Segundo a Polícia Civil, a investigação apontou que o suspeito deu falsas declarações e que a causa da morte foi espancamento.

O caso aconteceu no último domingo (15). A prisão, no entanto, foi realizada apenas na noite desta segunda-feira (16) pelas equipes das Delegacias Regionais de Colatina e de Barra de São Francisco, além da Delegacia de Polícia de Água Doce do Norte e Serviço Médico Legal (SML) de Colatina.

O pai foi preso em flagrante, nas dependências do SML de Colatina, no momento em que faria a liberação do corpo do bebê, juntamente com a mãe da criança. 

Médica que atendeu o bebê encontrou indícios de agressões físicas

“As suspeitas começaram ainda no domingo, quando os pais levaram o bebê para o atendimento médico, afirmando que o filho teria se engasgado no próprio vômito. No entanto, a médica que fez o atendimento não constatou indícios de engasgo, mas sim sinais compatíveis com agressões físicas”, afirmou o delegado Ricardo de Oliveira, plantonista da Delegacia Regional de Colatina.

O delegado relatou que a médica acionou a Polícia Militar e os pais foram conduzidos à Delegacia Regional de Barra de São Francisco, onde prestaram depoimento, mantendo a versão de que a criança teria se engasgado no próprio vômito, sendo socorrida pelo pai, porque a mãe estava tomando banho.

Apesar da versão suspeita, não havia, naquele momento, provas de crime. O casal foi liberado e o corpo do bebê encaminhado para o SML de Colatina, onde foi realizado o exame cadavérico.

No dia seguinte, o casal se apresentou à Delegacia Regional de Colatina para realizar os procedimentos de liberação do corpo e manteve a versão de que o bebê havia engasgado no próprio vômito.

Entretanto, a médica legista do SML de Colatina já havia constatado que a versão apresentada pelos pais do bebê era totalmente incompatível com o resultado do exame: morte em decorrência do traumatismo crânio-encefálico, decorrente de ação contundente, praticada com crueldade. Em outras palavras, o exame cadavérico concluiu que o bebê foi espancado.

A médica imediatamente relatou o resultado do exame para o delegado titular da delegacia de Barra de São Francisco que, por sua vez, encaminhou as informações ao delegado plantonista da Delegacia de Colatina. Juntamente com um policial, ele foi até o SML de Colatina e prendeu o pai do bebê em flagrante.

“Ele foi autuado em flagrante por falsidade ideológica, por ter declarado oficialmente, em depoimento, informações que não eram verdadeiras. Além disso, representamos por sua prisão temporária, pelo crime de homicídio qualificado por meio cruel, além do aumento da pena pelo fato de a vítima ser menor de 14 anos”, relatou Ricardo de Oliveira.

O suspeito foi conduzido ao sistema prisional e a mãe foi liberada após o depoimento. O caso segue sob investigação na Delegacia de Água Doce do Norte.

Últimas