Bombeiros alertam sobre riscos de afogamentos; 66 mortes foram registradas neste ano em praias do ES

Na última quarta-feira, um jovem desapareceu após mergulhar na praia de Manguinhos, na Serra; as buscas continuaram hoje, mas o jovem não foi localizado

Foto: TV Vitória

Com a expectativa de sol para os dias de feriado prolongado, o Corpo de Bombeiros faz um alerta sobre os riscos de afogamentos. Só na última quarta-feira (02), dois casos foram registrados em praias do Espírito Santo. 

Um turista de Minas Gerais morreu após se afogar na Praia do Morro, em Guarapari, e um jovem de 18 anos desapareceu após mergulhar no mar de Manguinhos, na Serra.

Foto: Divulgação Deivi Sandro desapareceu no mar de Manguinhos

As buscas por Deivi Sandro seguiram durante o dia inteiro nesta quinta-feira (03), mas o jovem não foi encontrado. As ondas agitadas acabaram dificultando o trabalho. A família segue acompanhando as buscas.

De acordo com testemunhas, o mar também estava agitado quando Deivi Sandro e um amigo resolveram nadar no balneário da Serra. 

Outros três jovens que os acompanhavam acharam melhor continuar na praia. Os dois que entraram na água tiveram problemas. O amigo conseguiu escapar, mas Deivi Sandro não.

O tenente Mendes, do Corpo de Bombeiros, orienta os banhistas a procurarem praias que tenham guarda-vidas e pedir informações sobre o local, se é seguro e se é próprio para banho. Caso aconteça uma situação dentro da água, o bombeiro orienta a buscar por algo flutuante, como um isopor, por exemplo, ou uma bola, para evitar ficar submerso.

Leia mais: Jovem desaparece ao mergulhar em Manguinhos e turista mineiro morre afogado em Guarapari

Mais casos

Nesta quinta-feira (03), outros dois casos de afogamentos aconteceram na Praia do Morro. No primeiro, uma criança de 4 anos de idade, e, no segundo, uma mulher de 33. Em ambos, elas estavam sendo levadas pela correnteza quando foram salvas pelos guarda-vidas. 

Entre janeiro e agosto de 2020, os Bombeiros registraram 66 mortes por afogamento no Espírito Santo. O número é menor do que no mesmo período do ano passado, com 88 óbitos. 

Em meio às buscas por Deivi Sandro, a prima dele criticou a ausência de guarda vidas no ponto da praia de Manguinhos onde o parente desapareceu.

Por nota, a Prefeitura de Serra disse que, até o momento, esse é o único caso registrado em 2020 e que os guarda vidas atuam diariamente nas praias do município, incluindo Manguinhos, mas não informou quantos são, nem em quais pontos específicos estão. 

A reportagem da Rede Vitória também procurou as prefeituras de Guarapari, Vila Velha e Vitória. A de Vitória disse que possui 40 guarda-vidas, que ficam nos sete principais postos de observação das praias da capital. As outras prefeituras não responderam.

* Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória / Record TV