Folha Vitória Brasileiro de Bodyboarding no ES marca o retorno de Naara Caroline e Cris Kale ao circuito

Brasileiro de Bodyboarding no ES marca o retorno de Naara Caroline e Cris Kale ao circuito

Com premiação igualitária, o Wahine Bodyboarding Pro conta com as capixabas Neymara Carvalho, Maylla Venturin e Maira Viana em busca do título

Folha Vitória
Foto: Riko Floripa
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O bodyboarding é um esporte repleto de conquistas para o Brasil e boa parte delas veio pelas manobras das mulheres. Segundo dados da Confederação Brasileira de Bodyboarding, são 28 títulos mundiais conquistados por atletas do país e mais três de ISA World Games, os jogos mundiais do surfe. Algumas destas campeãs estarão no Wahine Bodyboarding Pro, que começa nesta quinta-feira na Barra do Jucu, em Vila Velha (ES), e é válido como a primeira etapa do Circuito Brasileiro da modalidade.

Inclusive, o Wahine Bodyboarding Pro promete ser um resgate da força do bodyboarding feminino brasileiro. Além da pentacampeã mundial Neymara Carvalho, a categoria Profissional Feminino tem fortes favoritas ao título. Entre elas estão a bicampeã brasileira Joseleni Amorim (RS) e as vencedoras do Circuito Brasileiro Maira Viana (ES), campeã em 2018, e Maylla Venturin (ES), campeã em 2017.

Com premiação igualitária, a categoria Profissional Feminino também contará com o retorno de grandes nomes do esporte nas águas da Barra do Jucu. As capixabas Cris Kale e Naara Carolyne estão de volta às competições após um longo período fora das águas. A presença delas promete esquentar ainda mais as disputas em Vila Velha.

“A sensação de voltar a competir é a melhor de todas! Digo que é um reencontro comigo. Sentir o frio na barriga, treinar para uma competição tem me despertado as melhores lembranças. Hoje sem a cobrança de ganhar e verdadeiramente viver do esporte”, comenta Naara.

Além das atletas da casa, o evento contará com competidoras de peso do bodyboard nacional, como as cariocas Nicole Calheiros e Paola Simão, a paraense Alexandre Ereiro, as baianas Juliana Dourado e Tatiane Meneses e a potiguar Priscila Medeiros.

Premiação igualitária e categoria Master feminina

O Wahine Bodyboarding Pro vai distribuir R$ 21,6 mil em dinheiro na premiação para todas as categorias profissionais. Pranchas, nadadeiras, troféus, kits e outros acessórios, também de forma igualitária, serão destinados aos finalistas das categorias amadoras.

Uma das grandes novidades na programação da competição é a inclusão da categoria Master Feminino. Com presença de atletas de vários estados, a etapa será a primeira com a presença desta categoria. Entre as atletas inscritas, uma tem uma história bem especial com Neymara Carvalho, idealizadora e organizadora do evento.

Emanuelle Righetty competiu pela última vez em 1994, quando foi campeã capixaba amadora, e após 17 anos veste novamente uma lycra para entrar em águas capixabas. 

“Eu estou muito feliz em voltar a competir. Estou fazendo isso pela Neymara, mas também pelo fato de poder competir. A gente sempre tem aquela vontade de vencer guardada aqui dentro”, conta Emanuelle.

O que poucos sabem é que a atleta foi uma das grandes responsáveis pela ascensão de Neymara Carvalho no esporte. 

“Quando eu era pequena, ela me colocava pilha para ir para as competições. Inclusive, a primeira vez que competi fora do Espírito Santo foi no Rio de Janeiro e viajei com a família da Emanuelle. A mãe dela até pediu autorização para os meus pais me deixarem viajar”, reelembra Neymara.

Transmissão ao vivo

As disputas do Wahine Bodyboarding Pro começam nesta quinta-feira, 23 de setembro. Todos os dias o evento terá cobertura ao vivo através do canal do evento no Youtube. O link para o primeiro dia de competições já está disponível e pode ser acessado através do link https://youtu.be/oZmX0-nqEJk

As disputas seguirão até domingo. O cronograma será disponibilizado pela organização sempre ao final do dia anterior. As finais estão programadas para o domingo, mas podem sofrer alteração conforme as condições do mar.

Protocolos

Para a segurança dos mais de 150 atletas, equipe de apoio e demais envolvidos com o Wahine Bodyboarding Pro, serão realizados testes de Covid-19 durante o credenciamento dos atletas. A medida faz parte do protocolo para evitar o contágio e será oferecida de forma gratuita aos atletas pela organização do evento.

Sobre o Wahine Bodyboarding Pro

A etapa de abertura do Circuito Brasileito de Bodyboarding 2021 recebe o nome de “Wahine”, que significa “mulher” na língua havaiana. O resgate da conexão com os povos indígenas das ilhas do Havaí inspira o evento esportivo em Vila Velha.

Ainda, foram em águas havaianas algumas das conquistas mais emblemáticas de Neymara Carvalho. Ao sair da Barra do Jucu, ela consagrou seu nome no cenário do bodyboarding internacional, como campeã de uma das mais acirradas disputas do Mundial, na Praia de Pipeline, em 2006 e 2011.

Últimas