Folha Vitória Cadastro para medula óssea no ES cairá de 12 mil para 5 mil doadores

Cadastro para medula óssea no ES cairá de 12 mil para 5 mil doadores

Ministério da Saúde alterou as regras para a doação. A partir deste mês, só poderão ser aceitas para cadastro nacional pessoas com até 35 anos, sendo que antes a idade máxima era de 55 anos

Folha Vitória
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Novas regras para cadastro de doação de medula óssea passam a valer neste mês de julho

Duas portarias publicadas pelo Ministério da Saúde alteraram as regras para cadastro no Registro Brasileiro de Doadores de Voluntários de Medula Óssea (Redome). Entre as mudanças, está a redução da idade máxima para doar medula óssea, que passa a ser de 35 anos. Até então, podia ser realizada por pessoas de 18 a 55 anos.

Outra alteração é a definição de um limite de novos cadastros anuais por estado. O Espírito Santo, por exemplo, pode cadastrar até 5.509 novos doadores por ano. A cota anterior era de 12.333 doadores. 

As mudanças foram vistas com surpresa pela direção do Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes), responsável pelo cadastro dos doadores de medulas no Estado. 

A diretora técnica do Hemoes, Rachel Lacourt, diz que ainda é cedo para avaliar o impacto dessas alterações, mas já contabiliza uma redução de doadores. De acordo com o Redome, atualmente estão cadastrados 168.760 capixabas, desde a criação do cadastro, em 1993. 

"Nossa cota anual anterior era de 12 mil. Com essas novas regras, a tendência é que haja mesmo uma redução. Até o momento, não fomos comunicados pelo Ministério sobre as motivações, mas iremos cumprir o que foi determinado a partir deste mês de julho, pois as portarias pedem a execução das medidas no mês subsequente ao da publicação em Diário Oficial da União", explica. 

Rachel acredita que as mudanças podem ser uma tentativa de qualificar os cadastros e evitar problemas no momento de consolidar os transplantes. 

"Uma mudança é que os doadores farão as duas etapas de consolidação dos exames em uma só. Assim, aumenta a chance de se comprovar uma compatibilidade entre doador e paciente", elabora.

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Hemoes podia cadastrar até 12.333 doadores de medula por ano; agora, terá que limitar para 5.509

Dentro dessa possibilidade de otimização dos transplantes, ela também pondera sobre a redução da idade máxima para doadores que passa a ser de até 35 anos. A justificativa pode estar baseada nas chances de compatibilidade. 

"Quando avançamos na faixa etária, a medula óssea diminui a proliferação de células, o que diminui também a chance de compatibilidade. Mas temos que esperar o que o Ministério da Saúde vai declarar", destaca. 

Cadastros antigos continuam valendo

A diretora do Hemoes informou que as pessoas acima de 35 anos e que já foram cadastradas continuarão com registro ativo. 

"Teremos que zerar o cadastro a partir deste mês, com as novas regras. De janeiro a junho de 2021, já tínhamos contabilizado 2.888 novos registros", informa.

Ministério da Saúde não se pronuncia

A reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde para saber as motivações e justificativas das mudanças. Até o momento, não houve retorno. Assim que for encaminhada uma resposta, a matéria será atualizada.

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, o Inca, também foi procurado. Por meio de nota, informou que espera pela finalização de detalhes de implementação das portarias pela coordenação do Redome para, assim, se manifestar.

Como ser um doador? 

Para ser um doador, a pessoa deve procurar o Hemocentro mais perto de sua casa e preencher um cadastro. No local, será colhida uma amostra de 5 ml de sangue para fins de análise e classificação do antígeno leucocitário humano (HLA) e realizado o devido registro no Redome.

Caso seja identificado algum paciente compatível com o doador, este será convocado para coleta de amostra de sangue, para realização de uma rodada de exames de compatibilidade e aptidão para doação. Comprovando-se essa compatibilidade, o doador será encaminhado para um centro transplantador.

O candidato à doação de medula óssea deve manter as informações do cadastro, como endereço, telefone e nome, atualizadas no site do Redome, para que possa ser localizado em caso de ser compatível com algum paciente.

Últimas