Folha Vitória Caixa d'água na Serra não corre risco iminente de queda, diz Defesa Civil

Caixa d'água na Serra não corre risco iminente de queda, diz Defesa Civil

Moradores de condomínio na Serra viram na terça-feira (16) que a estrutura que armazena a água estava com um amassado e saíram do prédio por precaução

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Defesa Civil da Serra constatou, após perícia da estrutura da caixa d'água do Condomínio Top Life Edifício Cancún, que não há risco iminente de queda. O condomínio apresentou um amassado na parte lateral na tarde desta terça-feira (16). Assustados, os moradores decidiram sair do prédio por precaução. 

Apesar da análise inicial,  A Defesa Civil da Serra orientou que seja contratado um profissional de topografia para analisar o local. 

"Após a perícia, que será realizada por um profissional contratado pela empresa responsável pela construção do condomínio, será possível ter mais informações a respeito dos danos estruturais e das medidas necessárias para os reparos", esclareceu o órgão, por meio de nota.

Além disso, a Defesa Civil aguarda relatório da empresa MRV, responsável pela construção, para emitir parecer técnico. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Espírito Santo (Crea-ES) também esteve no local durante toda a manhã desta quarta-feira (17) para inspeção dos riscos e análise da documentação dos profissionais de engenharia envolvidos. 

A MRV informou que já contratou um perito para orientar o condomínio quanto aos possíveis reparos. Por meio de nota, a empresa disse que a manutenção que estava sendo realizada no castelo d’agua do empreendimento foi contratada pelo condomínio e não foi realizada pela construtora. A MRV acrescentou que o empreendimento foi entregue há cinco anos e, nesse período, não houve acionamentos de assistência técnica pelo condomínio sobre a estrutura do castelo de água.

Entenda o caso

De acordo com o síndico do condomínio, Luiz Cláudio Almeida, foi uma moradora de um prédio vizinho que percebeu o problema e comunicou o fato à síndica do condomínio dela. "Ela mandou uma foto para a síndica, que entrou em contato comigo. Eu, como estou aqui todos os dias e costumo verificar a caixa todos os dias, até porque a gente está reformando, eu verifiquei que aquele amassado não era normal. Era um amassado novo e aconteceu depois que nós começamos a encher a parte superior da caixa", contou.

Após ser comunicado do fato, Luiz Cláudio disse que entrou em contato com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES), Defesa Civil e Corpo de Bombeiros. O síndico disse que alguns moradores já foram para a casa de parentes e outros ainda aguardam para saber se poderão retornar para seus imóveis.

Luiz Cláudio contou ainda que a construtora MRV, empresa responsável pela obra, foi comunicada, em janeiro de 2020, sobre possíveis corrosões no reservatório de água. No entanto, segundo ele, a construtora respondeu, alegando que a estrutura não estava mais na garantia. A obra foi entregue aos moradores em agosto de 2015.

Últimas