Folha Vitória Câncer de próstata pode atingir 1.380 capixabas até o final do ano, aponta Inca

Câncer de próstata pode atingir 1.380 capixabas até o final do ano, aponta Inca

Quando diagnosticado de forma precoce, o Instituto Nacional do Câncer aponta que as chances de cura chega a cerca de 90%

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O movimento Novembro Azul chama a atenção dos homens para os cuidados com a saúde, em especial, para o câncer de próstata. O Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima que, somente no Espírito Santo, cerca de 1.380 capixabas sejam diagnosticados com a doença até o final deste ano.  

De acordo com o Instituto Oncoguia, aproximadamente 80% dos homens são diagnosticados com câncer de próstata após os 65 anos. A oncologista Carolina Conopca explica que são raros os casos da doença em homens com menos de 40 anos. 

“Estudos comprovam que o risco de desenvolvimento da doença aumenta de acordo com a idade. Os casos de câncer de próstata em homens mais novos estão associados ao histórico familiar. Sendo assim, se algum parente próximo tenha adquirido a doença ou mesmo outros cânceres, como do pâncreas ou de mama antes dos 60 anos, as chances aumentam”, explicou. 

A obesidade, o sedentarismo e o aumento da idade podem ser fatores de risco para a doença. Há ainda fatores genéticos relacionados a um gene hereditário, passado de pai para filho. Quem tem histórico familiar deve ficar ainda mais atento. Além disso, homens negros têm mais chances de desenvolver a doença. 

Os dados do Inca apontam ainda para a probabilidade de cura de cerca de 90% quando a doença é diagnosticada de forma precoce. A detecção pode ser feita por meio da investigação clínica, que é uma estratégia para encontrar o tumor ainda em fase inicial e, assim, facilitar o tratamento e a cura.

A oncologista ressalta a importância de combater e enfrentar o preconceito acerca deste assunto. “A melhor forma para prevenir ou detectar o câncer de próstata é realizar anualmente, a partir dos 45 anos de idade, o exame de toque retal e o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de ser cercado de preconceito e evitado por grande parte dos homens, o toque retal tem uma importância enorme, pois é por meio dele que o urologista consegue perceber a presença de um nódulo maligno”, argumentou. 

A campanha é fundamental para conscientizar a população masculina a utilizar todas as alternativas disponíveis para vencer o câncer de próstata e proporcionar maior acesso e conhecimento sobre os serviços de prevenção, diagnóstico precoce e tratamento. 

Últimas