Folha Vitória Capixabas convocados para as Paralimpíadas vão querem brilhar em Tóquio

Capixabas convocados para as Paralimpíadas vão querem brilhar em Tóquio

Esta será a maior delegação já convocada pelo Brasil para uma edição de Olimpíada fora do país

Folha Vitória
Foto: Luiza Guisso/Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Nesta semana, o Comitê Paralímpico Brasileiro anunciou a relação dos paratletas que irão representar o Brasil em Tóquio. Dentre a delegação confirmada, três atletas são capixabas e estão de malas prontas para a paralimpíada, que começa em duas semanas.

Esta será a maior delegação já convocada pelo Brasil para uma edição de Olimpíada fora do país. Serão 253 atletas que disputarão medalhas em 20 modalidades diferentes.

O objetivo é ter um desempenho melhor do que no Rio de Janeiro em 2016, quando o time paralímpico terminou em 8º lugar com 72 medalhas no total. Na ocasião, o Brasil conquistou 14 medalhas de ouro, 29 de prata e 29 de bronze.

Para isso, a capixaba Luísa Fiorese, convocada para a modalidade do vôlei sentado, quer fazer bonito e trazer a medalha de volta para o país. Foi tudo muito rápido. Menos de dois anos após ser descoberta, a atleta de Venda Nova do Imigrante está arrumando as malas para Tóquio. Vai representar o Espírito Santo e o Brasil na modalidade.

"Muito orgulho de fazer parte desse time de atletas que vai representar o Estado. Pode ter certeza que vou dar o meu melhor para conseguir trazer essa medalha", afirmou Luísa.

Já Daniel Silva é um capixaba acostumado a conquistar medalhas. Após a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, ele agora quer repetir a dose do outro lado do mundo.

"Eu quero minha quarta medalha. Vou buscar conquistar mais um ouro e estabelecer mais um recorde mundial, ficarei muito contente estabelecendo estes objetivos", ressaltou.

A nadadora Patrícia Pereira é quem completa o trio de capixabas convocados para a Paralimpíada. Depois de perder as medalhas que conquistou nos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019 por ser pega no doping, ela espera ter um desfecho diferente em Tóquio.

Últimas