Folha Vitória Cinco fazendas são invadidas e mais de 30 cabeças de gado são roubadas em uma semana

Cinco fazendas são invadidas e mais de 30 cabeças de gado são roubadas em uma semana

Além do prejuízo com os roubos e furtos, a crueldade dos criminosos é outro fator que preocupa os fazendeiros

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Fazendeiros tem sofrido com a criminalidade na zona rural de Vila Velha e Viana. Em apenas uma semana, cinco propriedades foram invadidas e mais de 30 cabeças de gado foram roubadas.

Além do prejuízo, os fazendeiros estão assustados com a ação violência dos bandidos. 

"Um proprietário aqui do lado teve o filho amarrado, a esposa amarrada, com emprego de muita violência. Eles foram muito espancados. Além de pegar todo o material da casa do caseiro, arrombaram até a sede e isso tudo é muito preocupante", contou Márcio Luiz de Medeiros, dono de uma propriedade.

Os fazendeiros que tiveram a propriedade invadida orientam que todos registrem boletim de ocorrência. Desta forma, podem ajudar nas investigações da Polícia Civil, com a possibilidade de prisão dos criminosos.

Um fazendeiro, que preferiu não se identificar, contou que teve a casa invadida há poucos dias. Homens entraram de madrugada e levaram quase todos os móveis.

"A gente está passando por muito sufoco aqui na região. Eu sei que o Brasil inteiro está sufocado no momento em todos os sentidos, mas nós estamos privados até de trazer nossa família para as nossas casas devido às invasões de residências", disse.

Gado roubado é abatido no pasto pelos bandidos e vendido para pequenos açougues

De acordo com os proprietários, os criminosos roubam as melhores partes do boi e vendem em açougues pequenos. Os animais são mortos no próprio pasto. Eles pedem que os empresários não comprem carne sem saber a origem.

O mesmo alerta foi feito pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (FAES), Júlio Rocha. Ele associou o furto de carnes ao crime de tráfico de drogas.

"O que precisa ser feito é identificar os receptadores de furtos e roubos e cortar a transação financeira que alimenta esse mercado. Infelizmente a maioria é provocada pela disseminação do tráfico de drogas, que a gente precisa encarar de frente e com coragem porque está cada vez tornando nossos jovens e adultos perdidos para essa mal prática", disse.

Fazendeiros estão com dificuldade para encontrar funcionários

Como se não bastasse o prejuízo financeiro e o trauma, os fazendeiros disseram que enfrentam outro problema.

Com tantos roubos, as portas das sedes das fazendas tem permanecido fechadas. Isso acontece porque, de acordo com os fazendeiros, está difícil achar caseiros. Eles estão com medo da violência.

"A gente está com dificuldade até para arrumar vaqueiro na região. Se você andar por aqui vai encontrar várias casas vazias, por esses atos de violências tão grandes que estão acontecendo", contou Márcio.

Em 2020, a Polícia Civil prendeu oito pessoas com duas toneladas de carnes clandestinas. Na época, as investigações identificaram que os integrantes de uma associação criminosa abatiam o gado e vendiam as carnes sem procedência em três municípios capixabas.

* Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas