Folha Vitória Cirurgias, sem caráter de emergência na rede privada, estão suspensas no Espírito Santo

Cirurgias, sem caráter de emergência na rede privada, estão suspensas no Espírito Santo

A medida foi publicada no Diário Oficial e vale para todos os hospitais da rede privada do estado

Folha Vitória
Foto: Unplash
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
A decisão tem validade de 30 (trinta) dias 

Em decisão publicada nesta segunda-feira (22), no Diário Oficial do Espírito Santo, o governo do Estado determinou a suspensão imediata das cirurgias eletivas não-essenciais nos hospitais particulares. A medida deve ser cumprida por todas as unidades dos 78 municípios capixabas. 

Ainda de acordo com o decreto, só poderão ser realizadas as cirurgias agendadas para as próximas 72 horas. A decisão terá validade de 30 (trinta) dias, e começa a valer a partir desta quinta-feira (25). 

O superintendente do Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Espírito Santo (Sindhes) e médico, Manoel Gonçalvez Carneiro, explicou que quem decide pela realização das cirurgias são os médicos com os pacientes e não os hospitais. No entanto, segundo ele, com o agravamento da pandemia no estado, a rede particular já vinha apresentando uma queda natural de cirurgias eletivas. "Com o decreto agora a tendência é pela redução. A intenção é reservar material e medicamento. Não gastar o que tem", ponderou Manoel. 

Ele explicou também que não faltam leitos para essas cirurgias, já que os leitos para tratamento da covid-19 são separados, devido ao isolamento que os pacientes de coronavírus necessitam. 

O decreto faz parte do pacote de medidas que o governo do Estado tomou na última terça-feira (16), com o fechamento por 14 dias de serviços não essenciais. O objetivo é conter o avanço da doença, já que de acordo com o painel covid da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), do dia 21 de março, a ocupação de leitos de UTI estava em 93,59%.  

Leia mais: Hospitais da rede privada estão com dificuldade para garantir leitos, diz secretário de Saúde

A suspensão das cirurgias na rede privada também foi anunciada na sexta-feira (12), pelo secretário de Saúde, Nésio Fernandes. 

Últimas