Folha Vitória Cobradores farão recarga do Cartão GV em ônibus do Transcol a partir de 2022

Cobradores farão recarga do Cartão GV em ônibus do Transcol a partir de 2022

De acordo com a Semobi, trabalhadores retornarão às atividades a bordo dos coletivos em horários pré-determinados, para auxiliarem na comercialização de créditos do Cartão GV, com pagamento com cartão de crédito e débito

Folha Vitória
Foto: Iures Wagmaker / Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Afastados de suas funções desde maio de 2020, por conta da pandemia, os cobradores dos ônibus do Transcol que não foram requalificados para atuarem em outras funções e que não aderiram ao Plano de Demissão Voluntária auxiliarão na venda de créditos para o Cartão GV. 

De acordo com informações da Secretaria de Mobilidade Urbana do Espírito Santo (Semobi), o plano para a mudança está sendo elaborando e deve começar a ser implementado a partir de janeiro de 2022.

Os cobradores devem retornar às atividades a bordo dos coletivos em horários pré-determinados, para auxiliarem na comercialização de créditos do Cartão GV, com pagamento com cartão de crédito e débito. 

A medida não abrange os micro-ônibus e os ônibus com ar condicionados, que não contam com posto de cobrador. 

LEIA TAMBÉM: Entenda os protestos dos rodoviários e por que eles podem continuar 

Segundo o secretário de Mobilidade Urbana do Estado, Fábio Damasceno, a alteração só deve acontecer no próximo ano, com o avanço da imunização da população capixaba. 

"A previsão é para o início do ano que vem. Ainda estamos num momento de pandemia. Nem toda a população foi vacinada com a segunda dose, alguns vão precisar da terceira dose. Estamos preparando essa volta de uma outra forma, um outro formato, para que, no início do ano que vem, possamos ter o retorno de algumas funções do trabalho no conceito antigo. Mas, claro, fazendo somente venda de créditos eletrônicos", informou.

A Semobi destacou que, para o retorno, é importante que a categoria tenha completado o processo de imunização com a segunda dose da vacina contra a covid-19. 

Impasse entre rodoviários e Governo do ES

Os rodoviários pedem o retorno dos cobradores para os coletivos. Na manhã desta quinta (09) e sexta-feira (10), os trabalhadores fizeram protestos em Vitória. O retorno, no entanto, é um impasse entre a categoria e o Governo do Espírito Santo. 

Em entrevista à rádio Pan News Vitória, o secretário Fábio Damasceno classificou as paralisações realizada na quinta e sexta-feira pelos rodoviários como ilegal, abusiva e irresponsável.

"100% ilegal e abusivo. Ilegal, abusivo e irresponsável. Só prejudica a população da região metropolitana. Não tem mais nenhuma função esse tipo de atividade. Existem algumas pessoas mais radicais achando que prejudicando a população vão chegar em algum lugar", declarou.

A categoria organizava uma nova mobilização para a próxima segunda-feira (13), mas desistiu após uma reunião com o presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), Erick Musso

Os rodoviários decidiram suspender temporariamente as paralisações previstas e, em contrapartida, as reivindicações da categoria devem ser discutidas na próxima semana pelos deputados estaduais. O presidente da Ales também se comprometeu em tentar intermediar uma conversa com o governador Renato Casagrande. 

Mesmo com o anúncio do Sindirodoviários sobre a suspensão da paralisação prevista para a próxima segunda-feira, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) obteve uma liminar na Justiça, nesta sexta-feira, garantindo que os rodoviários não realizem qualquer movimento que implique na não circulação dos ônibus, nos bloqueios nas garagens ou no fechamento de vias públicas.

A decisão é da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual e Municipal, Registros Públicos, Meio Ambiente e Saúde de Vitória. Caso o Sindirodoviários descumpra qualquer uma dessas medidas, estará sujeito a uma multa diária que pode variar de R$ 100.000,00 a até R$ 1 milhão

Últimas