Folha Vitória Com aumento, cesta básica de Vitória segue como 5ª mais cara do Brasil, aponta Dieese

Com aumento, cesta básica de Vitória segue como 5ª mais cara do Brasil, aponta Dieese

Em outubro de 2020, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 5.005,91

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Cesta Básica de Vitória, calculada pelo Dieese, registrou uma alta de 2,50% passando de R$ 539,36 em setembro para os atuais R$ 552,85 em outubro, se mantendo como a quinta mais cara do país. Na avaliação mensal, os produtos que registraram as maiores elevações nos preços foram a batata o óleo e o arroz. Dentre os produtos que apresentaram queda nos preços, destaca-se o tomate e o açucar. Neste mês, nenhum produto registrou estabilidade no preço.

Foto: Divulgação/Dieese
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

De acordo com o levantamento do Dieese, em outubro de 2020 o valor da cesta básica em Vitória representou 57,19% do salário mínimo líquido, em comparação aos 55,80% no mês de setembro. O trabalhador com rendimento de um salário mínimo, por exemplo, precisou cumprir uma jornada de 116 horas e 23 minutos para adquirir os bens alimentícios básicos em outubro.

Com base no total apurado neste mês para a cesta mais cara do país, a de São Paulo (R$ 595,87), e considerando a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deva ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em outubro de 2020, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 5.005,91 ou 5,18 vezes mais do que o mínimo líquido atual de R$ 966,63.

Foto: Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Últimas