Com aumento de 142% nas compras onlines, empresas se reinventam na pandemia

Esse aumento de vendas onlines também fez com que houvesse aumento de novas marcas, sendo beneficiário principalmente para as pequenas e médias empresas

Foto: Estadão Conteúdo
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Neste período de isolamento social, o e-commerce foi um ponto de vendas usado com muito mais frequência, pelos diversos tipos de segmentos, não é mesmo? Segundo a Confederação Nacional do Comércio, o número de compras pela internet aumentou 142% na comparação com o mesmo período do ano passado. E o faturamento do e-commerce de janeiro a junho de 2020, foi de mais de R$ 670 milhões.

Algumas marcas já tinham o costume de utilizar essa plataforma, outras não, mas ambas precisaram se acostumar e se reinventar para conseguir vender os produtos em meio ao uma pandemia. Quem já tinha uma loja online, necessitou também de aprender a como se destacar com as novas marcas chegando como concorrentes nesse meio. Já quem migrou para o digital neste período, teve que aprender o tráfico de vendas nesse meio, estratégias e posicionamentos.

Esse aumento de vendas onlines também fez com que houvesse aumento de novas marcas, sendo beneficiário principalmente para as pequenas e médias empresas. Segundo dados da ABCOMM - Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, uma loja online foi aberta por minuto no país desde o início do isolamento social. 

De acordo com a pesquisa, em um pouco mais de dois meses, 107 mil novos estabelecimentos criados na internet. Antes da quarentena, a média de abertura de e-commerce era de 10 mil por mês. Ainda de acordo com a pesquisa, houve um aumento expressivo nas vendas de diversos artigos, como decoração, moda, moda, eletrodomésticos, entre outros.