Folha Vitória Com mais de mil mortes por covid-19, Vila Velha vai multar quem não usar máscara na rua

Com mais de mil mortes por covid-19, Vila Velha vai multar quem não usar máscara na rua

Ainda sem valor definido para multa, projeto de lei sobre o tema será enviado à Câmara Municipal de Vila Velha até a próxima semana

Folha Vitória
Foto: arquivo
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O município de Vila Velha é o que registrou mais mortes por covid-19 no Espírito Santo. Segundo informações do Painel Covid, do governo estadual, até a tarde desta quinta-feira (08) a cidade soma 1.007 mortes e 49.306 casos confirmados. A taxa de letalidade é de 2%. Mesmo com o pior cenário do Estado, o município não adotou medidas mais restritivas em relação ao que já foi anunciado pelo governo estadual. 

Em entrevista à Pan News Vitória 90.5 FM, nesta quinta-feira (08), o prefeito Arnaldinho Borgo (Podemos) disse que o trabalho está sendo de conscientização. 

"A gente tem feito uma campanha de orientação muito forte. Além de orientação, tem as campanhas educativas, onde a gente entrega máscaras, álcool em gel, orienta sobre a importância de não se aglomerar para a não proliferação do vírus", explicou.   

Também durante a entrevista, Arnaldinho disse que vai atender à recomendação do governo estadual de obrigar o morador a utilizar máscara nas vias públicas do município. Segundo o prefeito, o projeto de lei sobre o assunto será enviado para a Câmara de Vereadores até a próxima semana, mas ainda não há um valor estipulado para as multas. 

"Vamos enviar para a Câmara uma lei para multar quem não utilizar a máscara.  O valor ainda vai ser definido, vai ser no valor de referência do tesouro municipal. A gente não quer chegar nesse extremo, temos feito orientações, feito esforço pra vacinar muito rapidamente quando chegam as doses das vacinas". 

Foto: reprodução vídeo
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Acompanhe alguns trechos da entrevista:

Vila Velha é o município com mais casos e mortes por covid-19 do Estado. Por que o senhor não restringiu ainda mais o decreto do governo do Estado como outras cidades fizeram?

Estamos fazendo uma campanha educativa muito forte, com a distribuição de máscaras e álcool em gel. Vila Velha é verticalizada, com muitos prédios, então, apertou o botão do elevador, vai contaminar quem passou pelo elevador. Desde o dia 1° de janeiro, Vila Velha tem todas as suas unidades referenciadas para acolher as pessoas que tem o sintomas de covid.

Existe alguma mudança com relação ao uso de máscaras?

Vamos enviar para a Câmara uma lei para multar quem não utilizar a máscara. Uma das formas que a gente tem de respeitar o próximo é através da utilização da máscara. O valor ainda vai ser definido, vai ser no valor de referência do tesouro municipal. A gente não quer chegar nesse extremo, temos feito orientações, feito esforço pra vacinar muito rapidamente quando chegam as doses das vacinas e também um esforço muito grande pra acolher as pessoas que têm algum sintoma covid pra que a gente possa fazer um tratamento precoce e evitar que cheguem à morte. Até semana que vem o projeto chega na câmara.

O seu plano de governo fala sobre a implantação do cerco eletrônico e reconhecimento facial. Quando isso começa a funcionar? 

A segurança pública em Vila Velha deu um salto substancial de presença na rua. Conseguimos reformar 15 viaturas que estavam sucateadas. Estamos com os documentos da muralha eletrônica. Estimamos que no final de abril essa muralha já estará funcionando. Isso significa que se você tiver um carro roubado, uma motocicleta roubada, e passar no nosso videomonitoramento, ele vai identificar e informar aos nossos agentes da guarda para prender esse infrator. Ou seja, igual em Vitória, mas Vila Velha tem peculiaridades porque tem várias entradas e várias saídas, por isso que demorou um pouco mais pra fazer o estudo apurado de quantas câmeras precisam ser instaladas para fazer o cerco eletrônico.

O senhor deu cargos para candidatos a vereadores que não conseguiram se eleger?

Alguns sim, mas com capacidade técnica. Em Vila Velha não existe nenhum cargo comissionado de livre nomeação que não tenha capacidade técnica, e desafio também alguém falar pra mim que exista algum cargo que não esteja produzindo em Vila Velha porque funcionário meu que não produz não fica na administração pública.

E sobre os módulos 24 horas da guarda municipal?

Nós temos adiantado o nosso termo de referência pra fazer a contratação desses módulos, no estilo "contêineres", que serão espalhados por toda a cidade. O principal que a gente quer instalar é o que fica entre o INSS e o Shopping Vila Velha. ´É um trecho onde tem muitos assaltos e a gente deseja colocar nosso módulo ali. Lembrando que é um módulo integrado, a gente vai custear para que a nossa guarda utilize, mas também outras forças de segurança.

Vila Velha tem dificuldade de atrair grandes empresas. O senhor acha que consegue mudar isso nos próximos quatro anos?

É a meta do nosso governo. Vila Velha é a melhor cidade pra se viver, pra se morar e daqui a pouco mais de um ano, dois anos, vai ser a melhor cidade para se empreender. A nossa meta é manter os empresários locais que já existem, dar condições de trabalho e desburocratizar pra que eles permaneçam em Vila Velha. Também vamos buscar repatriar todas as empresas que saíram de Vila Velha. Nós já estamos fazendo isso com a tecnologia e inovação.

Últimas