Folha Vitória CondoBlue lança fundo exclusivo para condomínios

CondoBlue lança fundo exclusivo para condomínios

Dados da Associação Brasileira de Síndicos Profissionais (ABRASSP) estimam mais de 400 mil condomínios no país, movimentando mais de R$ 165 bilhões por ano. “É um mercado de enorme potencial, que se modernizou e tem demandas crescentes".

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A CondoBlue, primeira fintech com foco no ecossistema de condomínios, consolida seu pioneirismo ao lançar fundo exclusivo para condomínios. Fundada em 2017, a fintech iniciou o negócio voltado ao crédito sob medida para o mercado condominial e vem ampliando sua oferta de serviços financeiros e de conveniência para se posicionar como o banco digital do setor.

Dados da Associação Brasileira de Síndicos Profissionais (ABRASSP) estimam mais de 400 mil condomínios no país, movimentando mais de R$ 165 bilhões por ano. “É um mercado de enorme potencial, que se modernizou e tem demandas crescentes. Isto abre inúmeras possibilidades porque até então era um segmento atendido com mais do mesmo pelas instituições tradicionais, sem entender e resolver as particularidades do setor. Somos a primeira fintech a entender e resolver as necessidades de condomínios e suas administradoras”, afirma Artur da Silva Júnior, fundador e CEO da CondoBlue.

Silva tem o DNA de finanças nas veias. Sua família atua há quase quatro décadas no mercado financeiro; e ele próprio, há mais de 20 anos com ênfase em crédito, sendo dez deles no segmento condominial. A paixão paralela por tecnologia o levou a fundar sua primeira empresa na área aos 20 anos. 

A fintech que já opera em 22 estados do País acaba de lançar o primeiro Fundo de Investimento em Direitos Creditórios exclusivo para o ecossistema de condomínios. A estimativa deste FIDC é fechar o ano de 2022 com uma carteira de R$ 100 milhões, e já se analisa a criação de um segundo fundo de investimentos não padronizados, que atuaria diretamente com a inadimplência dos condôminos. 

“A Condoblue atua na concessão de crédito para o mercado de condomínios, e a Run é especializada na estruturação e gestão de operações de nicho que conectam a economia real ao mercado de capitais. Por ser um segmento com muitas oportunidades e pela expertise dos envolvidos, temos uma grande expectativa”, afirma o gestor do CondoBlue I FIDC, Rafael Barbieri, da Run Investimentos.   

Expectativa de crescimento

A fintech cresceu rápido. Em dois anos atingiu o break even e em 2020, mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, a operação manteve a entrega do ano anterior. “Apesar da crise, não reduzimos a nossa oferta de crédito e temos a projeção de encerrarmos 2021 com uma carteira total de R$ 29 milhões”, diz Silva.

Com uma estratégia bem definida para amadurecer o negócio, foram investidos aproximadamente R$ 4MM. “Somente agora estamos prontos e iniciando conversas com possíveis novos sócios para acelerarmos o crescimento em 2022”, conta o CEO, que por meio de novos investimentos pretende alcançar 50 mil contas digitais e triplicar o número de colaboradores até o final do próximo ano.

Referência em crédito

O carro-chefe da CondoBlue é o crédito, que tem sido ampliado, a começar com uma linha de home equity exclusiva para proprietários de unidades em condomínios, mesmo de terrenos. Atualmente, a maior parte da carteira é de crédito consignado e crédito para condomínios.

A cereja do bolo do momento é o FIDC. “O fundo vai dar ao negócio uma escalabilidade muito maior para concessão de crédito. Nossa expectativa é alongarmos os prazos e partir para outras linhas de crédito, principalmente para atendermos projetos que tenham retorno de investimento mais longo”.

Soluções para todo o ecossistema

A CondoBlue está ampliando seus produtos e serviços para atender aos condomínios,  desde o funcionário, passando pelo síndico, até o morador e também o fornecedor; não só em soluções de crédito e serviços financeiros, mas também com ofertas relacionadas à saúde, seguros, cobrança e software.

Como banco digital vêm desenvolvendo uma plataforma de serviços pensados para o dia a dia do condomínio, numa conta bancarizada que conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito ("FGC") para patrimônio depositado de até R$ 250 mil. 

Environmental, social and governance

“Queremos ser um banco digital referência neste mercado e isso começa com nossa própria postura. Por exemplo, nosso crédito a funcionários do condomínio busca ser uma solução e não um problema. Por isso, evitamos o endividamento excessivo por meio de políticas que direcionam a contratação de empréstimos de menor valor e prazo”, comenta o CEO. 

Além de melhorias em seu nível de governança, a CondoBlue tem avançado em práticas que buscam compensar a emissão de poluentes gerados por sua operação. “Nosso próximo grande projeto é levar essa conscientização aos condomínios e ajudá-los a compensar os poluentes gerados em suas áreas comuns”, adianta Silva.

Para conhecer mais sobre a CondoBlue e suas soluções acesse o site www.condoblue.com ou siga nas principais redes sociais.

Últimas